Mano define ideias para "novo Corinthians" e espera reunião com presidente

O técnico Mano Menezes tem o diagnóstico do atual elenco do Corinthians e espera pelo novo presidente para planejar 2024.

O que aconteceu

Mano quer vários reforços para o Corinthians, mas precisa entender primeiro com quem pode contar. Há jogadores importantes em fim de contrato, como Renato Augusto, Giuliano e Bruno Méndez. E o impasse sobre a venda ou não de Gabriel Moscardo, além da busca por um novo diretor de futebol.

O treinador pretende discutir com o presidente Augusto Melo quem ficará no elenco para depois mostrar as posições que precisam de contratações. O único confirmado até agora é o lateral-esquerdo Hugo, do Goiás.

Há posições "óbvias", como as laterais e a zaga. O Corinthians vai atrás de zagueiro, outro lateral-esquerdo e ao menos um lateral-direito. Gil e Bruno Méndez têm contrato até dezembro. Fagner, Fábio Santos e Matheus Bidu fizeram temporadas ruins.

Outros setores dependem da continuidade de atletas. No meio-campo, por exemplo, haverá necessidade maior se Maycon, Renato Augusto e Giuliano saírem. O trio também tem vínculo até o fim deste ano. Haverá também novidades no ataque.

Certo é que Mano Menezes sabe que faltam jogadores de características diferentes: força física e velocidade. O técnico entende que há muitos jogadores de boa técnica, mas pouca imposição.

Outra leitura é sobre a utilização de jovens jogadores. Mano quer atletas com status de titular ou com características diferentes. Se for para trazer quem não decide, ele prefere a base. O comandante optou por atletas mais experientes por conta da pressão de brigar contra o rebaixamento, mas vê vários jovens de potencial, a exemplo de Matheus Araújo, Giovane e Wesley.

Continua após a publicidade

Mano gosta e se considera um bom "montador de elencos". No exemplo mais recente, o Inter melhorou com poucos reforços na janela de meio de ano e chegou à semifinal da Libertadores.

Augusto Melo falou em "12 ou 13 reforços" e um "time para ganhar tudo", mas Mano Menezes adota cautela e quer entender melhor qual será o orçamento.

Esses passos ocorrem durante a transição para o presidente eleito. Augusto ganhou nas urnas no último sábado e vê Duilio Monteiro Alves passar o bastão até 31 de dezembro. A posse acontecerá em 1º de janeiro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora