Diniz elogia jogo da seleção: 'Gritar olé para Argentina é um pouco demais'

Apesar da terceira derrota seguida, o técnico da seleção, Fernando Diniz, entende que o time brasileiro teve talvez sua melhor atuação sob seu comando diante da Argentina. Entende que é direito da torcida reagir negativamente, mas vê como demais os gritos de olé em troca de passes do time rival.

"A gente tem que entregar o nosso melhor. Acho que gritar olé para a Argentina é um pouco demais. Falar olé para Argentina é demais, tanto que foram vaiados pelo público. Jogou bem e isso acontece", disse Diniz.

Para o treinador, foi talvez a partida mais estável e com mais conteúdo tático do Brasil diante da Argentina. Ressaltou que, embora tenha havido o mesmo número de conclusões para os dois times, a seleção brasileira teve as chances mais claras de gol.

"Brasil levou mais perigo. A Argentina não teve nenhuma chance de fazer gol. A chance da Argentina foi só no escanteio. A gente teve contra-ataques muito claros. A gente esteve mais perto da vitória. Achei o resultado bastante injusto", analisou.

A atuação, e não o resultado obviamente, mostra para o treinador que ele deixa pontos positivos em um processo para o futuro. Mas o próprio Diniz reconhece que seus seis jogos nas Eliminatórias têm resultados ruins, e um desempenho instável.

"Em termos de processo para o futuro deixa algo. Perder e saber como faz. Se analisar em termos de resultado, muito ruim, principalmente perder três jogos seguidos. Em termos de desempenho, oscilante. A partida mais estável foi até hoje", diz o treinador.

"Dentro das oscilações, a entrega foi com a perspectiva positiva, de tática, de equilíbrio emocional. Você vislumbra coisas positivas porque está formando uma nova geração. Jogadores que nem se firmaram na Europa e entraram. E Acho que na frente vamos colher muitas coisas", encerrou.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes