PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Quatro coisas que o Grêmio leva da Recopa Gaúcha para a Série B

Roger Machado durante o jogo contra o Glória, pela Recopa Gaúcha  - LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Roger Machado durante o jogo contra o Glória, pela Recopa Gaúcha Imagem: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

25/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

O Grêmio voltou de Vacaria com o título da Recopa Gaúcha, obtido com a goleada de 5 a 0 diante do Glória-RS. Mas o rescaldo do jogo tem mais a ver com o que Roger Machado fez com reservas e jovens, além do retorno de Walter Kannemann, após cinco meses fora por recuperação de cirurgia. O desempenho de alguns atletas puxa a lista de fatos que podem aparecer nas próximas rodadas da Série B do Campeonato Brasileiro.

O Grêmio volta a campo diante do Vila Nova, em Goiânia, domingo (29), pela nona rodada da Série B. É possível que o time apresente alternativas testadas em Vacaria.

Kannemann voltou

A primeira notícia que fica da partida contra o Glória é Kannemann. Ponto. O zagueiro foi titular e jogou cerca de 57 minutos, depois de cinco meses inativo por conta da cirurgia no quadril. Enquanto jogou, foi intenso e contagiou o time.

"A liderança do Kannemann é inegável. Ele incendiou nosso vestiário e o campo", disse Roger, após o título.

Ambiente mais leve

O título não muda a situação do Grêmio na Série B, sem vencer há três jogos, mas melhora o ambiente do clube. A vitória, a goleada, muito mais do que a taça em si. A festa de comemoração foi discreta no gramado, rápida no vestiário. Porém foi recheada de confiança entre jogadores, comissão técnica e diretoria.

Para entender, basta simular cenário inverso. Em caso de derrota para o Glória ou vitória sofrida. A pressão aumentaria, ainda que não exista conexão entre os jogos em Vacaria e as rodadas da segunda divisão do Brasileiro.

"Frisei que a alegria e o ambiente desse momento vai distensionar o momento da Série do Campeonato Brasileiro", disse Roger.

Três zagueiros é realidade

Rodrigues, Natã e Kannemann formaram a defesa do Grêmio em um jogo com gramado acanhado, time adversário mais limitado tecnicamente e com princípios de jogo bem claros. Não foi pela Série B, mas poderá ser. A estrutura tática apresentada diante do Glória foi um teste para o restante do ano e agradou ao clube gaúcho.

A estratégia de manter três zagueiros e dar liberdade aos laterais, em uma transformação para alas, não apareceu em Vacaria. Já havia sido experimentada antes. Mas o jogo no interior do Rio Grande do Sul deixou bem claro a estrutura que Roger tem pensado.

"Com linha de três, muitas vezes consigo ter seis jogadores à frente da linha da bola. E dependendo a formação, posso casar para ter dois jogadores à frente com presença de área ou movimentação", comentou o treinador do Grêmio.

Campaz, Janderson e Elkeson

Se Kannemann foi protagonista, o trio do meio para frente também merece destaque. As atuações ajudaram o Grêmio a vencer~. Os gols injetaram ânimo e dão fôlego para nomes que viviam diferentes momentos antes da partida contra o Glória.

Janderson marcou um gol, deu duas assistências e sofreu um pênalti. Elkeson abriu o placar, em jogada onde se antecipou a zaga, e Campaz converteu a penalidade — além de circular bem à frente da área adversária. Os três pintam como alternativas para ajudar o time titular, ainda em dificuldade para criar oportunidades e concluir bem na Série B.

Grêmio