PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Arnaldo: Rogério Ceni quis 'assinatura' e deu passo maior que a perna

Do UOL, em São Paulo

23/05/2022 16h38

Classificação e Jogos

O São Paulo conseguiu uma boa atuação no primeiro tempo diante do Corinthians e indicou a seu torcedor que poderia encerrar o jejum de vitórias na Neo Química Arena, onde jamais venceu. Mas na volta para o intervalo, com mudanças promovidas por Rogério Ceni, o time não conseguiu manter o ritmo e sofreu o empate em 1 a 1 que manteve a sina tricolor diante do rival. Culpa do técnico?

No podcast Posse de Bola #230, Arnaldo Ribeiro considera que Ceni exagerou nas trocas que fez e que o que aponta como uma tentativa de assinatura do treinador acabou se tornando um empecilho para o São Paulo na partida em Itaquera.

"Tem uma questão envolvendo o Rogério que ele pode, assim como ele foi cedendo aos poucos a algumas evidências, ao Arboleda, era uma evidência, ao sistema de três zagueiros de vez em quando, é uma evidência, foi o sistema que consagrou o São Paulo tricampeão brasileiro e que foi responsável pelo último título paulista do ano passado pelo São Paulo, eu acho que no intervalo ficou um pouco daquela característica que o Rogério também tem da assinatura", diz Arnaldo.

"Eu fiz isso, eu vou mudar, vou me antecipar e ele tem até a sua justificativa tática para mudança, mas talvez não para uma tripla mudança e não a retirada, o Reinaldo jogava bem, o Igor Vinícius jogava bem e o Luciano jogava bem, ele tirou três jogadores que estavam jogando bem. Então é um pouco demais, nenhum tinha problema físico, foi uma mudança tripla tática, acho que ele deu um passo maior que a perna, ele quis antever todo o desenho do segundo tempo", completa.

O jornalista concorda com o treinador são-paulino que o domínio corintiano não rendeu grandes oportunidades para o time de Vítor Pereira e que o São Paulo ante teve uma bola para vencer o jogo nos minutos finais, quando Cássio salvou.

"É verdade sim que o Corinthians não criou tantas chances assim mesmo tendo o domínio no segundo tempo, mas o Corinthians não tinha domínio algum na primeira etapa e acabou dando errado porque ninguém entrou bem dos reservas, o time cedeu terreno, embora tenha tido a última chance do jogo, outra grande defesa do Cássio, na cabeçada do Igor Gomes. Foi uma chance muito parecida com o gol do Corinthians", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol