PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Quando Ferguson o tirava, Ronaldo também não gostava", diz ex-United

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

20/01/2022 16h18

Ex-companheiro de Cristiano Ronaldo na primeira passagem do português pelo Manchester United, quando o time ainda era treinado pelo lendário Alex Ferguson, Mark Bosnich saiu em defesa de CR7 após a polêmica reação do jogador ao ser substituído no segundo tempo da vitória por 3 a 1 dos Red Devils sobre o Brentford, ontem (19), pelo Campeonato Inglês.

Irritado com a substituição, CR7 jogou seu casaco no chão, sentou na escada e questionou a opção do treinador. Rangnick, inclusive, aproveitou o terceiro gol do United para se aproximar de Ronaldo e conversar com o camisa 7.

"Não há um jogador na história com o qual tenha jogado que tenha ficado feliz por ser substituído ou deixado de fora, muito menos Ronaldo. Lembro-me da primeira passagem dele pelo Manchester United, e, quando Sir Alex Ferguson o tirava, ele também não ficava satisfeito", disse o ex-goleiro do United.

"Todos os melhores jogadores devem ficar um pouco chateados quando são substituídos", acrescentou Mark Bosnich, que foi revelado pelos Red Devils e teve duas passagens pelo time profissional: entre 1989 e 1991 e de 1999 a 2001, tendo inclusive participado da histórica decisão do Mundial de Clubes contra o Palmeiras, em 1999.

Apesar de sair em defesa de CR7, o ex-goleiro também aprovou a decisão do treinador Ralf Rangnick. "Ele [Cristiano Ronaldo] não treinava há algum tempo, há muitos jogos pela frente. Imaginem se ele se lesiona nos últimos quinze minutos?", questionou.

"Normal", diz técnico

Em entrevista à "BT Sport", o comandante do United afirmou que a insatisfação do português é "normal", e explicou o motivo de ter sacado seu camisa 7 aos 26 minutos da etapa final. O zagueiro Harry Maguire entrou na vaga de CR7.

"É normal. Como atacante, ele quer marcar gols. Ele voltou de uma pequena lesão, então era importante ter em mente que nós teremos outro jogo em três dias", falou o comandante do United.

"Por outro lado, nós vencíamos por 2 a 0, o mesmo resultado do Villa Park, e eu decidi defender essa vantagem e acho que foi a decisão certa. Nós marcamos o terceiro gol e nós queríamos manter a folha limpa [sem sofrer gols]", completou.

Esporte