PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Galiotte relembra tombo na final da Libertadores-20: 'Será que filmaram?'

Na última final, Maurício Galiotte caiu no chão e nem assim parou de comemorar - Reprodução
Na última final, Maurício Galiotte caiu no chão e nem assim parou de comemorar Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

25/11/2021 17h04

Quando Breno Lopes subiu às costas de Pará e cabeceou, o presidente Maurício Galiotte ficou maluco. O gol que deu a Copa Libertadores de 2020 ao Palmeiras, no Maracanã, rendeu também um tombo daqueles para o dirigente alviverde durante a comemoração. Às vésperas de mais uma decisão, ele relembra a queda cinematográfica.

"Naquele momento era o meu desejo de torcedor de correr e comemorar. Queria abraçar os jogadores, o Breno Lopes, queria festejar, nem me passou pela cabeça que eu era presidente e estava no camarote presidencial da Conmebol", afirma Galiotte em entrevista à One Football (assista no vídeo abaixo).

"No outro dia eu até me desculpei, mas na hora o [cargo de] presidente ficou de lado. Aí pensei 'e agora, será que alguém filmou esse negócio?', só depois soube que a Conmebol tinha a imagem. Pensei 'putz?'", conta o presidente do Palmeiras. O vídeo naturalmente viralizou nas redes sociais.

Galiotte acompanhava o jogo em uma área reservada a convidados, uma espécie de setor VIP do Maracanã, ao lado do presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez. Na hora do gol que sacramentou a vitória por 1 a 0 e o título, ele tentou pular a poltrona em que estava sentado, mas tropeçou e caiu de lado no chão.

"Não dava tempo de pensar. Tentei pular, aí vocês viram o que aconteceu: tomei um baita de um capote, um tombo, levantei e ainda escorreguei em seguida. Caramba, Libertadores não é mole, não", brinca o dirigente alviverde.

O ocorrido motivou a Conmebol a mudar seu protocolo para a decisão entre Palmeiras e Flamengo, neste sábado (27). Ao contrário da última final, desta vez os presidentes dos clubes poderão assistir à decisão cada um em seu camarote, mais à vontade.

Palmeiras