PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Após tombo de Galiotte, Conmebol libera presidentes de protocolo na final

Mauricio Galiotte, Alejandro Dominguez e Rodolfo Landim em reunião na sede da Conmebol sobre a final da Libertadores - Divulgação/Conmebol
Mauricio Galiotte, Alejandro Dominguez e Rodolfo Landim em reunião na sede da Conmebol sobre a final da Libertadores Imagem: Divulgação/Conmebol
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

19/11/2021 14h30

Com Leo Burlá, do Rio

A Conmebol vai liberar os presidentes Maurício Galiotte, do Palmeiras, e Rodolfo Landim, do Flamengo, do protocolo de assistirem à final da Libertadores em 27 de novembro junto das autoridades. O jogo será no estádio Centenário, em Montevidéu, com início às 17h (de Brasília).

Em reunião no fim de outubro, na sede da Conmebol, o presidente da confederação sul-americana, Alejandro Dominguez, brincou com os dirigentes dizendo que o jogo é um momento de tensão para eles, por isso quer liberá-los para ficarem em setores separados, sem precisar estarem sentados ao lado dele, como é o usual. Os camarotes, entretanto, estarão próximos.

Dominguez sabe bem que a emoção pode descontrolar até mesmo o mais comedido cartola. Na final da Libertadores-2020, realizada em 30 de janeiro de 2021 no Maracanã, Galiotte se empolgou com o gol de Breno Lopes sobre o Santos aos 53 minutos do segundo tempo e ao tentar pular os assentos do local em que assistia ao jogo ao lado de Dominguez e do então presidente da CBF, Rogério Caboclo, se desequilibrou e levou um tombo. Alguém gravou a cena e o vídeo viralizou nas redes sociais.

No Centenário, o setor para autoridades deve ter o presidente do Uruguai, Luis Alberto Lacalle Pou, além de outros membros do governo, de diretores da Conmebol e chefes de confederações, como Ednaldo Rodrigues da CBF. A presença de Lacalle Pou deve tornar o protocolo um pouco mais rígido.

Galiotte e Landim devem passar por todo o cerimonial de pré-jogo, como reunião com autoridades e sessões de fotografias, sendo liberados somente momentos antes do início da partida. Após o confronto, durante a premiação, os protocolos voltam a ser cumpridos.

Em 2019, na final da Libertadores contra o River Plate no estádio Monumental de Lima, no Peru, Landim seguiu o roteiro até momentos antes da partida, mas depois foi autorizado pela Conmebol a ver o jogo com familiares e torcedores, tirando o paletó e colocando a camisa do Flamengo.

"Em 2019 eu cumpri todo o protocolo, mas na hora do jogo fui para a torcida. Esse ano, o Alejandro disse que sabia que somos torcedores fervorosos, mas queria nos ter próximos. Como seria difícil a gente se comportar, ele resolveu colocar camarotes próximos a ele para cada um", disse Landim.