PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Castan diz ainda conversar com goleiro Bruno pelo WhatsApp

Zagueiro Leandro Castan, do Vasco, em entrevista ao jornalista Rica Perrone - Reprodução
Zagueiro Leandro Castan, do Vasco, em entrevista ao jornalista Rica Perrone Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

22/11/2021 21h20

O zagueiro Leandro Castan, do Vasco, revelou que ainda mantém contato com o goleiro Bruno, condenado a mais de 22 anos de prisão pela morte da modelo Eliza Samudio e que hoje cumpre pena em regime semiaberto. Os dois jogaram juntos no Atlético-MG no início dos anos 2000.

Em entrevista ao canal "Cara a Tapa", do jornalista Rica Perrone, o defensor disse que eles mantêm conversas pelo WhatsApp, mas que o crime não é assunto na troca de mensagens. Veja no vídeo abaixo a partir de 8min46.

"O Bruno jogou também lá [no Atlético-MG], Brunão, o goleiro que teve aquele problema. Era da nossa geração. A gente ainda conversa, ele manda mensagem no WhatsApp... É complicado. Não sei nem o que falar, conheço ele desde que era garoto, crescemos juntos na categoria de base. Nunca perguntei sobre isso [caso da Eliza Samudio], é um assunto delicado, não tenho nem coragem de perguntar o que aconteceu", disse.

"Fiquei muito chateado com isso. Uma vida se foi, a gente não sabe o que aconteceu... E depois para ele, acabou com a vida dele, fico muito triste. Conheço a família dele, a avó que criou ele. É complicado, cara... O Bruno tem a personalidade muito forte, baita goleiro, um dos melhores que joguei na minha vida. Era um cara que poderia ter jogado uma Copa do Mundo", acrescentou.

Eliza Samudio, mãe de um filho do goleiro Bruno, foi assassinada em 2010. Bruno foi condenado pelo sequestro e assassinato da modelo.

Futebol