PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Evra revela briga com Vidic no United: 'Jogávamos sem dizer uma palavra'

Patrice Evra anunciou a aposentadoria do futebol - PAUL ELLIS/AFP
Patrice Evra anunciou a aposentadoria do futebol Imagem: PAUL ELLIS/AFP

Colaboração para o UOL

14/10/2021 17h02

Patrice Evra e Nemanja Vidic fizeram parte do sistema defensivo de uma das equipes mais vencedoras do século: o Manchester United que conquistou cinco títulos de Premier League e um de Champions, entre 2006 e 2013.

Apesar de os atletas terem sempre se entendido bem dentro de campo, o ex-lateral esquerdo revela que, fora das quatro linhas, a relação entre eles nem sempre foi das melhores. Em evento promovido pelo Manchester United no começo de outubro, Evra conta detalhes de uma briga que os levou a não conversarem por três meses.

"Para ser sincero, nós também brigamos. Nós tivemos uma briga, eu e ele, e não nos falamos por três meses. Nós jogávamos juntos e não dizíamos uma só palavra. Eu nunca falava pra ele para ir à esquerda ou à direita. E ele também não", relembra.

O desentendimento entre os defensores foi tão sério que forçou o então treinador da equipe, Alex Ferguson, a mexer em seu miolo de zaga. Ele passou Rio Ferdinand para o lado esquerdo e Vidic para o lado direito da defesa, visando afastar Evra do sérvio — como conta o ex-lateral.

Esse momento conturbado, porém, foi um ponto fora da curva na relação entre os atletas, que desde o momento em que chegaram ao clube inglês estiveram bastante próximos. Assim como os títulos e bons momentos, Evra e Vidic viveram juntos os "maus momentos".

"Nós chegamos ao mesmo tempo e lutamos juntos. O treinador [Rene Maulensteen] nos mandou treinar com os reservas. Depois de 45 minutos ele substituiu a gente… dos reservas. No vestiário, Vida estava dizendo: 'Meu agente me ligou, preciso voltar para Moscou'. Eu também, meu agente me ligou e disse que a Roma tinha interesse em mim. Era difícil por aqui", conta.

Mas a parceria entre os jogadores voltaria a se fortalecer "mais ou menos três meses" após a briga, como relembra Evra. "Depois de um jogo, eu lembro que ele veio até mim no vestiário e tocou na minha mão. Todo mundo estava tipo 'finalmente', porque nós éramos melhores amigos, Vida e eu. Nós temos uma história profunda juntos", completa.

Futebol