PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Danilo lamenta suspensão de jogo da seleção e defende 'justiça' na Fifa

Danilo, lateral-direito da seleção brasileira, estava escalado como titular no último domingo (5) - Lucas Figueiredo/CBF
Danilo, lateral-direito da seleção brasileira, estava escalado como titular no último domingo (5) Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Carneiro e Igor Siqueira

Do UOL, em São Paulo e Rio de Janeiro

07/09/2021 13h40

No Brasil x Argentina que durou cinco minutos, os jogadores da seleção se viram em meio a uma situação "inusitada" e tentaram descontrair ao ver que não tinham controle sobre a situação, explicou hoje (7) o lateral-direito Danilo. Apesar da iniciativa de abstrair toda a tensão que rondou o clássico de domingo, na Neo Química Arena, o jogador admite a frustração por ver ser desperdiçada a preparação para o jogo.

No fim das contas, o que seria um dos jogos mais aguardados das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 virou um treino para convidados em Itaquera.

"Foi uma situação realmente muito inusitada, totalmente incomum para nós atletas, para quem estava assistindo. Procuramos passar da maneira mais descontraída, desde que a gente viu que não teríamos controle sobre o que iria acontecer. A preparação normalmente é especial para um jogo contra Argentina. A gente estava com muita vontade, muito concentrado. Atrapalhou para aquele dia ali. A gente estava com tudo preparado. Temos que passar a página e pensar na preparação para o jogo contra o Peru", disse Danilo.

Ao mesmo tempo que defende o foco no desafio imediato, que é a seleção peruana, na quinta-feira (9), o lateral-direito entende que a resolução fora de campo, no que diz respeito ao desfecho do caso no Comitê Disciplinar da Fifa, não deve ignorar o contexto de tudo o que ocorreu nos bastidores.

Todo o departamento jurídico da CBF, junto com a Fifa, e todos os órgãos responsáveis têm as indicações, as provas para que seja tomada a melhor decisão. Tem que cumprir a regra, a lei, tudo o que tiver escrito no papel tem que ser cumprido. Observando as provas, indícios, fazendo a justiça."

O pensamento de Danilo, inclusive, vem a reboque de todas as informações públicas envolvendo as autoridades brasileiras e a exigência sanitária para entrar no Brasil. A Argentina deixou o gramado depois que agentes da Anvisa e da Polícia Federal foram a campo para buscar quatro jogadores argentinos que vieram da Inglaterra há menos de 14 dias e, por isso, deveriam ter feito quarentena: o goleiro Martínez, o zagueiro Romero, o volante Lo Celso e o meia-atacante Buendía — os três primeiros foram titulares domingo.

"Tudo o que a gente teve acesso foi o que todo mundo teve. Todos sabem que eles jogam na Inglaterra, das proibições e regras que existem. Não é segredo para ninguém. Estava na imprensa. A partir daí, a ação de todos os órgãos responsáveis a gente não tinha acesso, não estávamos preocupados e não interferiu no nosso trabalho. Não tivemos o sentimento de que o jogo não aconteceria. A gente sempre teve convicção de que aconteceria a partida e precisaríamos estar focados", explicou Danilo, dando mais detalhes sobre a alternativa:

Danilo - Reprodução/CBF TV - Reprodução/CBF TV
Danilo durante a entrevista coletiva de hoje (7) da seleção brasileira, em Guarulhos
Imagem: Reprodução/CBF TV

"Virou um treino, a gente descontraiu, brincou. Realmente, tudo o que estava em torno tinha uma carga emocional, com decisões que não cabiam a nós jogadores. Agora, já passado, foco total no que vem pela frente".

Danilo estava entre os titulares da seleção brasileira contra a Argentina e a perspectiva é que ele continue entre os 11 iniciais de Tite contra o Peru. Sem ter jogado no domingo, o Brasil segue líder com folga das Eliminatórias, com 21 pontos. O jogo diante dos peruanos será em Pernambuco, às 21h30, na quinta-feira.

Leia outras respostas de Danilo:

Jogo contra o Peru

"A gente enfrentou o Peru muitas vezes. Apesar de ter vencido, foram jogos difíceis. Existe um quebra-cabeça tático. É uma equipe aguerrida, muito organizada. A gente está acostumado a ter bola e em alguns momentos eles dificultam isso, com bom pé, movimentação e passes curtos no meio que não é fácil de encaixar pressão. É uma seleção que nos causa muita dificuldade."

Danilo - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Danilo é titular de Daniel Alves na lateral direita da seleção brasileira atualmente
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Onde a seleção pode melhorar

"É legal falar de futebol. Temos falado muito sobre extra-campo. Não pode ser um álibi, mas é difícil para qualquer seleção ficar sem 11 jogadores, a maioria titulares, e conseguir resultado. Isso tem que ser valorizado. Tenho consciência de que a seleção tem jogadores incríveis e em alguns momentos não conseguimos manter o nível de atuação por muito tempo. Isso não depende muito do trabalho da comissão técnica, depende muito mais de nós enquanto jogadores termos uma concentração durante os 90 minutos a mais do que estamos tendo, é um papel nosso, importante que tenhamos essa responsabilidade. Isso nos dará mais equilíbrio, fará vencer partidas e dar menos ocasiões para o adversário. O que temos que melhorar é manter o nível de atuação durante a partida."

Críticas ao desempenho

"Para qualquer atleta é muito mais legal quando você tem o suporte de todas as pessoas que torcem. Mas no futebol não existe unanimidade, nem os maiores da história são unânimes. Eu pessoalmente tenho que entender a importância da camisa que eu visto, a cobrança, a influência dela no futebol. Sinceramente procuro fazer meu trabalho, sou muito crítico comigo mesmo e procuro evoluir. Não é a cada jogo, é a cada treino. Me avalio e procuro melhorar porque sei o tamanho dessa camisa no futebol mundial e que meu papel sendo feito de maneira melhor vou ajudar a equipe. As críticas são naturais. Eu trabalho para que não aconteçam, para que seja o mínimo, mas meu trabalho será feito com muita ou pouca crítica."

Seleção Brasileira