PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com um a menos, São Paulo empata com Chape e chega ao 4º jogo sem vitória

Thiago Braga

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/06/2021 20h59

Classificação e Jogos

Após três rodadas, o São Paulo entrou em campo pressionado para vencer pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro. Hernán Crespo ousou, mas a expulsão de Rodrigo Nestor, ainda no primeiro tempo, complicou a estratégia do argentino.

A Chapecoense não quis saber, partiu para cima dos donos da casa na segunda etapa e, mesmo sem obrigar o goleiro Tiago Volpi a trabalhar muito, conseguiu empatar após uma desatenção da zaga tricolor. No final do jogo, quase virou o placar em um contra-ataque rápido, que Lima mandou na trave.

Com o empate, ambos os times têm a mesma campanha, com dois pontos e nenhuma vitória em quatro jogos até aqui. Ficam fora da zona de rebaixamento momentaneamente.

Na próxima rodada, o São Paulo tem o clássico contra o Santos, na Vila Belmiro, enquanto a Chapecoense pega o Atlético-MG, fora de casa.

Crespo inova

Precisando vencer, o argentino lançou uma escalação ultra-ofensiva, com direito a uma profusão de atacantes: Rigoni, Rojas, Éder e Luciano, além de Gabriel Sara, um meia bastante ofensivo. Além disso, mandou a campo apenas um zagueiro de origem: Bruno Alves.

A forma como todas essas peças seriam acomodadas gerou mistério entre os torcedores nos minutos que antecederam o apito inicial.

Reinaldo foi escalado como zagueiro ao lado de Alves. Gabriel Sara foi usado como lateral esquerdo, enquanto Rigoni e Rojas jogavam espetados pelas pontas, dando amplitude ao time, podendo recorrer ao cruzamentos, mas também aos chutes. Na hora de defender, os dois recuavam para recompor o meio de campo.

Nestor jogou numa linha de meio-campo mais avançada, como armador centralizado. Sem a bola, recuava com Liziero para dar spuorte defensivo.

Tática deu certo

O time entrou ligado em campo, pressionando a defesa da Chapecoense e explorando os cruzamentos, especialmente quando Rigoni levava a bola para o fundo na ponta direita. Aos 13min, a aposta de Crespo deu certo. Rigoni cruzou e Éder se antecipou à zaga para abrir o placar.

São Paulo passa a controlar o jogo

Após abrir o placar, o São Paulo passou a ter ainda mais domínio do jogo. Com 23min, a equipe tinha 77% de posse de bola. O time catarinense não mudou muito a postura de esperar o Tricolor. Apesar do domínio, o São Paulo continuava dependendo dos cruzamentos de Rigoni para levar perigo. João Paulo evitou gol de Luciano e Bruno Alves mandou no travessão a bola após escanteio.

Expulsão muda o jogo

Aos 39min da primeira etapa, uma disputa entre o volante Rodrigo Nestor com o zagueiro Léo Gomes foi revisado pelo VAR e resultou na expulsão de Nestor por ter acertado o pé no rosto do jogador da Chapecoense.

O time catarinense aproveitou a expulsão de Nestor e ocupou o campo de defesa do São Paulo e passou a explorar a maior deficiência da equipe dirigida por Crespo: as bolas aéreas. Aos 45min, após cruzamento, Lima obrigou Tiago Volpi a salvar uma bola no ângulo e evitar o empate.

Segundo tempo com alterações de jogadores e propostas

O São Paulo precisava aumentar seu poder de marcação. Pensando também no clássico contra o Santos, Crespo tirou Luciano e colocou Léo Pelé para formar a dupla de zaga com Bruno Alves. Assim, deslocou Reinaldo para a lateral esquerda e Gabriel Sara para o meio de campo. Apesar de ter um jogador a mais, a Chapecoense não conseguia levar perigo para o gol de Tiago Volpi. O São Paulo conseguia se defender e saía para o contra-ataque.

Volta dos 3 zagueiros e empate da Chape

Na metade da etapa final, Crespo voltou ao esquema que ele mais usou até aqui no Morumbi, com três defensores. Reinaldo voltou para a zaga, com Léo Pelé e Bruno Alves. Wellington entrou na ala esquerda. Pablo virou a referência e perdeu gol frente a frente com João Paulo.

Na sequência, em um lance pelo lado esquerdo, Lima cruzou, a bola desviou em Liziero e ficou na medida para Kaio aproveitar a liberdade às costas de Reinaldo e empatar a partida aos 28min.

Bola lá e cá --e quase virada da Chapecoense

Após o empate do clube catarinense, o jogo mudou totalmente. Os times se desorganizaram, enquanto o juiz Dyorgines Jose Padovani de Andrade parecia confuso, invertendo marcações. E quase todo ataque passou a ser perigo de gol.

Em um desses lances, a Chape quase virou, após Lima carimbar a trave. Em uma última tentativa de ganhar o jogo, Crespo colocou o atacante Bruno Rodrigues, que estava sem jogar desde a fase de grupos do Paulista, no lugar de Reinaldo.

O jogo ficou quente no final, com os dois times querendo apitar o jogo. Sara, já nos acréscimos, acertou voleio na área, mas viu a bola bater caprichosamente na trave.

SÃO PAULO X CHAPECOENSE

Local: Estádio do Morumbi
Data e horário: 16 de junho de 2021, às 19h
Árbitro: Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES), Vanderson Antonio Zanotti (ES)
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Gols: Eder (12'/1ºT) (1-0)
Cartões Amarelos: Liziero, Luciano, Igor Vinicius (SAO), Anselmo Ramon, Ravanelli (CHA)
Cartões Vermelhos: Rodrigo Nestor (SAO)

SÃO PAULO
Volpi; Igor Vinicius, Bruno Alves, Reinaldo (Bruno Rodrigues, aos 43'/2ºT) e Gabriel Sara; Liziero, Rodrigo Nestor, Rigoni e Rojas; Eder (Pablo, aos 13'/2ºT) e Luciano (Léo, Intervalo). Técnico: Hernán Crespo

CHAPECOENSE
João Paulo; Matheus Ribeiro, Felipe Santana, Ignácio e Mancha (Ezequiel, aos 30'/2ºT); Moisés Ribeiro (Lima, aos 03'/1ºT), Léo Gomes (Kaio, aos 16'/2ºT), Anderson Leite (Perotti, Intervalo) e Ravanelli; Fernandinho e Anselmo Ramon (Bruno Silva, aos 30'/2ºT). Técnico: Jair Ventura.

Futebol