PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Deputado propõe volta de torcidas a estádios em Pernambuco

Torcida do Sport na Ilha do Retiro - Site oficial Sport
Torcida do Sport na Ilha do Retiro Imagem: Site oficial Sport

Colaboração para o UOL

07/05/2021 23h54Atualizada em 07/05/2021 23h54

Em meio à pandemia de Covid-19 que já matou 419.393 pessoas no Brasil, das quais 14.434 foram em Pernambuco, num cenário de ocupação de leitos no estado é de 97% de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), o ex-vereador do Recife e deputado estadual Romero Albuquerque (PP-PE) apresentou à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) um projeto de lei que, caso aprovado, autorizará o retorno das torcidas aos estádios de futebol.

O deputado apresentou a proposta na última quarta-feira (5) e afirmou que vai solicitar sua tramitação em regime de urgência do projeto que estabelece procedimentos para a entrada do público nos jogos. Segundo a assessoria do deputado, seu desejo é que a partida final do campeonato pernambucano, em 23 de maio, tenha gente nas arquibancadas.

O texto estabelece a criação de protocolos inspirados em normas já criadas, por exemplo, no Rio de Janeiro, entre regras permanentes e outras que possam variar a depender dos números da pandemia, conforme Pernambuco avance no Plano de Convivência com a covid-19.

O texto estabelece três níveis de classificação de risco para determinar se os estádios poderão abrir ou não ao público. Pela proposta, situações de risco "moderado" e "alto" têm regras mais brandas e o patamar de "risco muito alto" restringiria por completo a presença do público nos estádios pernambucanos. O texto também prevê que a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco possa observar revisar e divulgar qual o nível de alerta de cada semana, determinando assim a abertura ou fechamento dos portões de estádios ao público.

Em linhas gerais, o projeto determina que estádios e ginásios com capacidade de até 10 mil pessoas poderão operar com até um quinto do público, mantendo distanciamento de 2m entre cada torcedor. Em locais com capacidade menor que 10 mil pessoas, o distanciamento requerido reduz para 1 m, enquanto a limitação de público aumenta para um décimo da capacidade máxima.

As regras preveem a disponibilização de dispositivos para lavagem das mãos, equipamentos de proteção individual especificamente para funcionários que lidam com o público ou fazem o serviço de limpeza e higienização do espaço, divulgação de materiais educativos sobre a covid-19 e a venda de ingressos exclusivamente online, entre outras ações.

Futebol