PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Entenda por que o príncipe William se posicionou contra a Superliga

Príncipe William é presidente da FA - Reprodução / Internet
Príncipe William é presidente da FA Imagem: Reprodução / Internet

Do UOL, em São Paulo

21/04/2021 20h09

Segundo na linha sucessória ao trono britânico, o príncipe William acompanhou de perto os desdobramentos da criação - e posteriormente, suspensão - da Superliga Europeia, o que despertou a curiosidade dos torcedores. Mas por que um monarca estaria tão envolvido com a situação?

O Duque de Cambridge é na realidade o presidente da Federação Inglesa (FA) desde 2006. O cargo pertence a integrantes da família real britânica desde a década de 1930, e é quase que figurativo. Cabe ao príncipe algumas missões, como ser o rosto da entidade, emitir opiniões de apoio à seleção e participar da final da Copa da Inglaterra. Desta vez, porém, William interveio.

No domingo (19), quando as primeiras notícias sobre a Superliga foram divulgadas, Willian usou as redes sociais para demonstrar sua preocupação.

"Agora, mais do que nunca, devemos proteger toda a comunidade do futebol - do mais alto nível até a base - e os valores da competição e justiça em sua essência. Compartilho as preocupações dos fãs sobre a proposta da Superliga e os danos que ela pode causar ao jogo que nós amamos", escreveu.

Com as notícias sobre o desmoronamento do projeto após os protestos, o neto da Rainha Elizabeth afirmou que "a voz do torcedor" estava sendo ouvida.

"Estou feliz que a voz unida dos torcedores do futebol foi ouvida e atendida. Agora e muito importante que nós usemos este momento para garantir a saúde futura do jogo em todos os níveis. Como presidente da FA, estou comprometido a fazer minha parte neste trabalho", publicou.

William é declaradamente apaixonado por futebol. Torcedor do Aston Villa, ele já foi visto diversas vezes acompanhando as partidas da equipe com seu filho mais velho, o pr´ncipe George.

Futebol