PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grupo de clubes vê suspensão do Profut como "demonstração de bom senso"

Associação de clubes se reuniu com senadores em Florianópolis recentemente para discussão política no futebol - Roberto Zacharias / Mafalda Press / ANCF Divulgação
Associação de clubes se reuniu com senadores em Florianópolis recentemente para discussão política no futebol Imagem: Roberto Zacharias / Mafalda Press / ANCF Divulgação

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

20/04/2021 12h06

O Congresso Nacional derrubou, em votação durante o dia de ontem (19), o veto do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) à suspensão dos pagamentos das parcelas devidas pelos clubes ao Profut, durante a pandemia do novo coronavírus. Os clubes pediam o adiamento da dívida para o período pós-pandemia.

Foram 438 votos (378 na Câmara dos Deputados e 50 no Senado da República) sensíveis à reivindicação dos clubes, exposta por meio de manifestações da Associação Nacional de Clubes de Futebol (ANCF), contra apenas 23 votos (17 na Câmara e 6 no Senado) que negaram o apoio ao futebol brasileiro.

Para o presidente da ANCF, Francisco José Battistotti, o expressivo resultado da votação não representou apenas uma vitória para os clubes, mas "uma demonstração de bom senso dos deputados e senadores, sensíveis ao grave momento por que passa o mais popular esporte nacional".

Battistotti voltou a ressaltar a disposição dos clubes em honrar os compromissos assumidos junto ao Profut, mas afirmou que "negar a eles um direito concedido a outros segmentos da economia nacional, durante o atual e difícil momento que todos atravessam, era uma injustiça".

Por fim, o presidente fez questão de ressaltar a união dos integrantes da Associação Nacional de Clubes de Futebol em defesa dos seus direitos. "Foi apenas uma batalha. Teremos outras com igual importância a enfrentar e vencer", concluiu Battistotti.

Futebol