PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jogador do Valencia diz que clube perderia pontos se não voltasse a campo

Valencia abandona campo após insulto racista contra jogador francês - Reprodução/Valencia/Twitter
Valencia abandona campo após insulto racista contra jogador francês Imagem: Reprodução/Valencia/Twitter

Do UOL, em São Paulo

04/04/2021 17h00

O jogador do Valencia, José Luis Gayá, disse ao final da partida contra o Cádiz que os jogadores não voltariam ao gramado após as ofensas racistas contra Diakhaby, mas foram avisados de que poderiam perder os três pontos da partida ou até mais. Além disso, o zagueiro francês pediu o retorno dos atletas.

"Diakhaby disse-nos que o insultaram e no Valencia nós condenamos. Deixamos o campo por isso, mas disseram-nos que tínhamos de sair, isso se não tirassem três pontos e mais alguns de nós. Diakhaby disse-nos para voltarmos ao campo e é por isso que saímos. Ele queria que saíssemos, sem a sua permissão não o teríamos feito", afirmou Gayá.

Cádiz e Valencia empatavam por 1 a 1 pelo Campeonato Espanhol quando a partida foi interrompida por um suposto ato racista contra o zagueiro Diakhaby. O jogo foi retomado após alguns minutos e o Cádiz venceu o jogo por 2 a 1.

Diakhaby discutiu com o jogador Juan Cala, do Cádiz, após uma jogada aérea contra o Valencia. O zagueiro ficou muito irritado com algum comentário de Cala e foi tirar satisfação com o jogador adversário com a bola rolando.

O brasileiro Gabriel Paulista e jogadores do Valencia tiveram de conter Diakhaby. Os jogadores do Valencia abandonaram o gramado e o jogo foi paralisado por alguns minutos. O brasileiro, capitão do Valencia, disse nas redes sociais que ficou orgulhoso da postura do time após o caso de racismo.

"Como capitão do Valencia, muito orgulhoso de como a equipe apoiou Diakhaby ao deixar o campo. Nenhum ser humano merece tal humilhação. Então, tudo perdeu seu significado. Todos nós perdemos e não estou falando sobre o resultado. Nós, Cádiz e futebol em geral. NÃO AO RACISMO, NÃO AO RACISTAS", escreveu Gabriel Paulista em sua conta no Instagram.

"Todo o nosso apoio a Diakhaby. Não ao racismo. O jogador, que recebeu um insulto racista, pediu para seus companheiros voltarem a campo. Todos com você", escreveu o Valencia em sua conta oficial no Twitter.

A partida foi reiniciada sem Diakhaby, que foi substituído por Hugo Guillamón. O suposto agressor, Juan Cala, seguiu em campo. O treinador do Cádiz afirmou após o jogo que Cala disse que não ofendeu o jogador do Valencia.

"Acredito em meu jogador e Cala me disse que não insultou ninguém", disse o técnico Cervera, do Cádiz.

Futebol