PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Auxiliar do Palmeiras explica escalação e alerta para falta de concentração

do UOL, em São Paulo (SP)

22/02/2021 21h05

Classificação e Jogos

O empate em 1 a 1 com o Atlético-GO, pela penúltima rodada do Brasileirão, despertou a atenção da comissão técnica do Palmeiras para a falta de concentração do time em determinados minutos da partida. Com decisões importantes pela frente nos duelos contra o Grêmio na Copa do Brasil, o auxiliar técnico João Martins analisou como este aspecto interferiu no desempenho da equipe na noite de hoje (22), no Allianz Parque, e explicou a decisão por escalar alguns dos jogadores considerados titulares absolutos, como Weverton, Gustavo Gómez, Viña, Marcos Rocha e Luiz Adriano.

"Nós, quando viemos do Mundial, sabíamos que teríamos de fazer duas equipes, sabendo que no segundo jogo não iria iniciar 100%. Foi o caso da segunda equipe que jogou contra o São Paulo e iniciou hoje. Mas [sabíamos] que faríamos alguns testes para tentar outra equipe, para que esta que iniciou hoje esteja preparada para o que está vindo, que é a final da Copa do Brasil", afirmou.

"Nós sabemos que nesses jogos do Brasileiro, muitas vezes, os níveis de concentração não estão no limite. Conseguimos ter isso contra o São Paulo, hoje não tivemos, principalmente, nos últimos 15 minutos da primeira parte e [em] alguns momentos da segunda. E é isso que temos de melhorar. Nosso objetivo é ter consistência desde o início do jogo e é isso que precisamos manter", completou.

Como também reforça o técnico Abel Ferreira, que hoje estava suspenso, João Martins refutou os rótulos de titulares dentro da equipe e confirmou que as provas feitas desde o retorno do Qatar, onde disputou o Mundial de Clubes, serão importantes e consideradas para a Copa do Brasil:

"Aqui, não há nem titulares nem suplentes. Estes foram os jogadores que foram mais utilizados no Mundial de Clubes e com os desgastes das viagens e horas da intensidade dos jogos, sabíamos que chegaríamos com jet lag, com todas as condicionantes, que não poderiam colocar estes jogadores. Precisávamos ter um tempo para pensar mentalmente e fisicamente. Foi por isso que a outra equipe fez os primeiros dois jogos e essa equipe fez outros dois. Agora, tivemos a oportunidade de observá-los e vamos escolher para a final da Copa [do Brasil]", encerrou.

Futebol