PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Maracanã tem público aglomerado na arquibancada e tirando as máscaras

Sem máscara, santistas torcem pelo time na final da Libertadores 2020, no Maracanã - Mauro Pimentel/Getty Images
Sem máscara, santistas torcem pelo time na final da Libertadores 2020, no Maracanã Imagem: Mauro Pimentel/Getty Images

Rodrigo Mattos, Eder Traskini e Thiago Ferri

do UOL no Rio de Janeiro

30/01/2021 16h46

A Conmebol foi autorizada a colocar 5 mil pessoas, entre convidados, imprensa, dirigentes e representantes dos clubes na final da Libertadores no Maracanã. Pela regra, todos deveriam manter as máscaras o tempo inteiro e evitar aglomerações. Mas torcedores têm se sentado próximo e tirado máscaras para fazer fotos, o que ocorre inclusive na tribuna de honra.

O decreto do governo do Estado do Rio de Janeiro determinou que seria permitido um público de 10% da capacidade do estádio. Para isso, seria obrigatório o uso da máscara e delimitações de segurança, além de testagem geral do para coronavírus.

As torcidas estão ocupando o setor oeste do Maracanã. Os palmeirenses estão mais à direita das cabines de rádio, os santistas estão mais à esquerda da cabine.

Em vez de se distanciarem, os palmeirense e santistas estão aglomerados o mais perto possível do meio do campo. A espaços vazios no setor que não estão ocupados. Não houve orientação de seguranças para as pessoas se distanciarem.

A reportagem viu vários torcedores tirando as máscaras para fazer fotos ou ficando longos tempo sem elas. Há abraços e confraternização sem as máscaras. Não houve repressão por parte de seguranças ou orientações para se colocar o equipamento.

Essas cenas também se repetem na tribuna de honra onde estão dirigentes e autoridades. A falta de uso de máscara também é vista na tribunal de imprensa.

O Brasil vive um novo pico da onda do coronavírus com uma média de 1.60 mortes por dia na última semana. O Rio de Janeiro é um dos Estados mais atingidos e já soma quase 30 mil mortes desde o início da pandemia.

Futebol