PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Conselheiros do Palmeiras pedem cancelamento de eleição para vitalícios

Sede social do Palmeiras, que terá eleição para conselheiros vitalícios no dia 7 - Divulgação/Palmeiras
Sede social do Palmeiras, que terá eleição para conselheiros vitalícios no dia 7 Imagem: Divulgação/Palmeiras

Ricardo Perrone e Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

27/11/2020 20h18

Classificação e Jogos

Um grupo de 23 conselheiros do Palmeiras enviou carta (leia na íntegra abaixo) a Seraphim Del Grande, presidente do Conselho Deliberativo (CD), pedindo o cancelamento da votação para novos membros vitalícios, marcada para o dia 7 de dezembro. Este é um ponto que gera divergência no clube desde a votação para reforma estatutária.

No documento, os motivos citados são: o Palmeiras não convocou a reunião ordinária do CD marcada para outubro e está chamando uma extraordinária para um tema sem urgência. Além disso, argumentam que os sócios, em sua maioria, já se mostraram contra o aumento do número de vitalícios, que tem 148 das 300 cadeiras do conselho.

Pessoas ligadas ao grupo entendem que a decisão de fazer a votação agora já faz parte da eleição para novos conselheiros, marcada para 6 de fevereiro. Alguns dos que tentam se tornar vitalícios agora teriam de concorrer no pleito do começo de 2021; tornar-se vitalício seria uma forma de usar o capital político para fortalecer a base destes conselheiros, muitos ligados à situação.

A votação para vitalício ocorre da seguinte forma: para ser eleito, o conselheiro precisa da maioria dos votos dos presentes (50% + 1). Por marcar o evento em meio à pandemia do novo coronavírus, há o risco de a eleição ter um quórum mais baixo, fazendo com que o número de votos para se tornar vitalício seja consequentemente menor.

Presidente do CD responde

Procurado, Seraphim del Grande disse que ainda não recebeu o documento, já que hoje não foi ao clube. Ele, porém, avisa que só não fará a votação para eleição de vitalícios caso a secretaria de saúde do Estado de São Paulo proíba reuniões a partir da próxima semana por conta da pandemia do novo coronavírus.

"A reunião ordinária teria de acontecer em outubro, mas (por conta da pandemia), foi feita outra em outubro (equivalente às de março e julho). E então a reunião de outubro vai ser feita junto da de dezembro, com a previsão orçamentária (de 2021). A convocação extraordinária pode acontecer a qualquer momento", avisou.

"(A votação) Só não vai ser realizada se tiver uma determinação da secretaria de saúde do Estado, falando que mudou a zona (da cidade) e não pode ter reunião. Aí vou obedecer o determinado. Se não, vamos seguir a vida", acrescentou.

"Tudo é feito de acordo com o estatuto do Palmeiras. Eles se baseiam que a soma das opções (para diminuir o número de vitalícios) deu que invalida (a votação). Mas o estatuto fala claramente que para mudar precisa ter um percentual (dois terços na assembleia de sócios) e só pode ser registrado quando alcançar. Não é pela soma de duas propostas, é individual. E as perguntas (na votação) foram as mais lógicas possíveis. Ninguém reclamou que não entendeu. Foi claríssimo, não tem controvérsia", encerrou.

Veja a carta enviada pelo grupo

"Ilmo. Seraphim Carlos Del Grande - Presidente do Conselho Deliberativo

Em resposta a convocação para reunião extraordinária do Conselho Deliberativo a realizar-se em 07/12/2020, com vistas exclusivamente à eleição de novos conselheiros vitalícios, destacamos que:

1. Ainda não foi convocada nem, portanto, realizada a reunião ordinária de outubro , conforme exige o artigo 83 do nosso estatuto. Ela deveria 1 ter prioridade frente a uma reunião extraordinária para tratar tema que não possui absolutamente nenhuma urgência.

2. Os sócios do clube, em três oportunidades distintas, votaram contra a eleição de novos conselheiros vitalícios por ampla margem. Lembramos que o índice necessário para alteração estatutária foi atingido na soma das respostas, que não deveriam estar separadas.

3. Os casos de Covid vem aumentando consideravelmente e a orientação dos órgãos de saúde é de que sejam evitadas aglomerações novamente . O próprio clube tem cancelado atividades internas em razão dessa preocupação da nova onda de contágio.

Submeter conselheiros (as) a uma reunião que não demanda nenhuma urgência, para deliberar sobre assunto contrário ao interesse do associado, ignorando a ordem natural de reuniões do nosso estatuto e em meio a um novo pico de contaminação pela doença que nos rodeia não é apenas desnecessário, como temerário.

Alertamos, ainda, que a ausência de conselheiro(a), mesmo justificada, não possui a trivialidade de uma reunião comum, pois a eleição para conselheiro vitalício se dá por maioria do quórum de presentes, sendo as ausências capazes de influenciar de forma negativa a formação de vontade do colegiado, desvirtuando o resultado de sua decisão.

Em razão do exposto, solicitamos que a referida reunião extraordinária seja CANCELADA e que se convoque, em momento mais adequado e com possibilidade de acesso telepresencial, a reunião ordinária referente ao mês de outubro. Pedimos, também, que nesta reunião sejam tratadas questões importantes para o destino do Palmeiras, tais como a situação financeira do clube e o endividamento a médio e longo prazo, respeitando a liturgia de nosso estatuto e os desejos de nossos associados.

Assinam este requerimento os seguintes conselheiros:

Aurélio Davanço
Emerson da Rosa
Felipe Giocondo
Guilherme Pereira
José Antônio do Rosário
José Apparecido Júnior
José Corsini
José Luiz Portella
Leonardo Fioretti
Luis Fronterotta
Luiz Fernando Moncau
Luiz Mousinho
Márcio D´Andrea
Marcos Gama
Marcelo Puggina
Maurício Vituzzo
Renato Mazaro
Renato Marino
Ricardo Galassi
Ricardo Spinelli
Roberto Fleury
Sylvio Mukai
Vinícius Zucca"

Palmeiras