PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu espera e confia em renovação de Dodi; clube não teve busca do Ceará

Renovação de Dodi virou novela, mas Fluminense está mais confiante por acordo - LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C
Renovação de Dodi virou novela, mas Fluminense está mais confiante por acordo Imagem: LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/11/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Fluminense adota cautela, mas está mais confiante em relação à renovação com o volante Dodi, apesar da "novela" envolvendo o negócio. A contra proposta feita pelo estafe do jogador, mesmo alta, foi vista como um sinal positivo pela diretoria, que agora tem um parâmetro salarial.

Nos últimos dias, um suposto interesse do Ceará surgiu nos corredores de Laranjeiras. O clube, entretanto, garante não ter sido procurado. A bem da verdade, o Vozão não precisa da anuência do Tricolor para negociar ou fechar um acordo com o jogador no mercado da bola.

Mas caso um pré-contrato seja assinado, por lei, o Flu precisa ser comunicado, o que ainda não foi feito. Os empresários do atleta seguem afirmando que o clube é a prioridade de Dodi, que deseja ficar.

Por outro lado, a diretoria ganha tempo com a disputa do Campeonato Brasileiro. Se deixar o Tricolor rumo a outro time da Série A, o volante de 24 anos ficará sem atuar por pelo menos três meses, o que nem seu estafe nem ele desejam. Com a vontade de manter Dodi por pelo menos mais quatro anos no clube, o Fluminense tem o calendário como "aliado" na negociação.

E se a alta pedida é impeditiva para a manutenção do atleta, o Flu tenta chegar mais próximo dos valores e acena também com um aumento das luvas, que teriam parte diluída no próprio contrato — cujo aumento já seria automático a partir da renovação.

O clube concordou com a extensão da duração após a contra proposta, de três para quatro anos. Agora, espera uma resposta do estafe do jogador para definir os próximos passos. Mais uma reunião deve ser feita ainda neste mês.

As últimas rodadas de conversa tiveram participação maior dos empresários Márcio Bittencourt e Tadeu Cruz, que gozam de melhor relação com o presidente Mário Bittencourt — que não possui vínculos familiares com o agente — e o diretor Paulo Angioni, empresário que chegou a irritar a cúpula de futebol do Fluminense por sua postura e declarações à imprensa sobre a negociação.

Fluminense