PUBLICIDADE
Topo

Santos

Médico volta ao Santos após reprovar pedido de Cuca e criticar departamento

Felippe Cardoso disputa lance em partida do Santos contra a Ferroviária, em 2019 - Ivan Storti/Santos FC
Felippe Cardoso disputa lance em partida do Santos contra a Ferroviária, em 2019 Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

23/10/2020 04h00

O Santos contratou nos últimos dias o doutor Carlo Alba, que volta ao departamento médico do clube depois cerca de dois anos. O profissional deixou o Peixe no final de 2018, pouco após a contratação de Felippe Cardoso junto à Ponte Preta, a pedido do técnico Cuca. O médico foi contra por causa de uma pubalgia crônica do atleta.

Logo após deixar o Santos, Alba fez duras críticas ao então chefe do departamento, Jorge Merouço — que também deixaria a Vila Belmiro logo depois. Alba alegou que Merouço havia autorizado o acerto com o centroavante sem consultar o restante do departamento.

"Você não pode contratar um jogador de três meses de inatividade. Como é que você vai contratar um jogador com uma ubalgia crônica? Ou seja, uma das lesões mais traiçoeiras do futebol. Discute com seu corpo médico... O que somos? Enfeites? Bonecos? O Jorge Merouço aprovou isso, mas não discutiu com ninguém. Eu não faria. Pode fazer um contrato de risco, oferecer o Cepraf [Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas de Futebol] para tratamento, mas se tem dúvida você discute com seus pares. É normal ter dúvida na área da medicina. O Santos contratou, mas não é culpa do Cuca", afirmou Alba na época.

Cuca manteve a aposta em Felippe Cardoso e afirmou que "cada jogador responde à [lesão] pubalgia de uma forma diferente". O técnico se manifestou em entrevista coletiva dias após a saída de Alba e antes de Merouço também pedir demissão.

"Deu uma incendiada aí. O que eu vou falar? Não esperava? Faltam seis jogos, temos que ter calma, priorizar o Santos acima de tudo. Alba é santista, gosta muito do Santos, dá para sentir. É um amigo meu. Não esperava essa demissão, fiquei sabendo ali dentro que foi num programa de TV e expôs algumas coisas. Coisas que ele pensa e não é o que pensamos às vezes. O Santos tem um grande departamento médico, com questões discutidas, tantos médicos, enfim. Internamente se resolve. Infelizmente, não houve ajuste entre Alba e Merouço. Pode ter sido pivô de tudo isso. Merouço é muito experiente, com apreço de todos", disse Cuca.

Hoje, Felippe Cardoso defende o Fluminense, emprestado. O centroavante não conseguiu se firmar no Santos, onde teve sim problemas de lesão, nem no Ceará, onde atuou no ano passado. No clube carioca, porém, ele pode não ser titular, mas vem atuando mais vezes e não passou nenhuma vez pelo departamento médico.

Processo e vazamento de informação

Na época, Alba ainda criticou o sistema de rodízio de médicos entre profissional e base, que não é mais utilizado hoje. Em passagem anterior pelo clube, em 2015, Alba afirma que chegou a processar o clube, mas devolveu o dinheiro que ganhou na ação.

"Era uma dívida trabalhista. Ganhei e devolvi R$ 500 mil quando voltei [em 2018]. Vim para ajudar, com salário baixo. Médicos que estão hoje são bons para trabalhar", afirmou em contato com o UOL Esporte.

Antigo chefe do departamento médico, Jorge Merouço deixou implícito em seu texto de despedida do Santos que era Carlo Alba quem "vazava informações" sobre as lesões do atleta em 2018. Ele também explicou o rodízio de médicos e criticou o então colega por "não querer fazer jogos da base".

"Esse senhor [Carlos Alba] resolveu falar de coisas que internamente ele não citava, mas tudo bem, sou santista e não tenho vaidade. Os outros times têm mais médicos. Nós fazíamos a cobertura de base e profissional e quando o Santos sai tem que ter um médico representando. Só no último mês, tive 12 campeonatos. Só o Alba não queria fazer os jogos da base. O DM sempre foi a grande notícia. Mesmo sem ninguém, quando entrava um jogador, já virava notícia. Informações eram passadas e nós sabíamos por quem. Gostaria muito de saber as lesões dos outros times, até sei, mas é sigiloso. No Santos não: é notícia principal", disse Merouço ao Diário do Peixe, na época.

Santos