PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Andrés diz que busca novo técnico e fala em "emboscada" contra atletas

Andrés Sanchez em entrevista coletiva virtual no CT Joaquim Grava  - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Andrés Sanchez em entrevista coletiva virtual no CT Joaquim Grava Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

15/09/2020 14h40

O presidente Andrés Sanchez confirmou que o Corinthians busca um novo treinador no mercado da bola e que Dyego Coelho ficará apenas como técnico interino. O treinador, inclusive, disse que espera contratar o novo treinador o mais rápido possível.

"O Coelho e treinador do sub-20, não tinha tempo de treinamento. A gente está no mercado e vamos ver o que acontece nos próximos dias. Até dia 31 posso contratar o treinador que eu quiser", disse Andrés.

"Que o treinador venha com sorte. Tem poucos nomes no mercado. Esperamos resolver isso o quanto antes", completou.

Andrés Sanchez também explicou a saída do técnico Tiago Nunes. Após dizer em entrevista ao SporTV que não demitiria o treinador poucos dias antes da queda, o dirigente alega que "mudou de ideia" sobre a demissão após ser convencido pelos dirigentes do clube paulista.

"A decisão foi realmente não tirar, mas conversando com os diretores nós decidimos por bem tirar. Mudei de opinião em três dias, futebol é assim. A decisão é minha", afirmou o dirigente.

O Corinthians terá o técnico interino Dyego Coelho no banco de reservas no duelo contra o Bahia, amanhã (16), às 21h30 (de Brasília), na Neo Química Arena, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Emboscada

Andrés Sanchez tratou como "emboscada" as ameaças que a delegação do Corinthians sofreu em protesto de torcedores no aeroporto de Guarulhos após o jogo contra o Fluminense, no último domingo.

"É lamentável, até porque nós, historicamente, sempre atendemos os torcedores. No Corinthians, você sempre é cobrado. Agora, ser intimidado, ameaçado, isso não faz parte da torcida do Corinthians. Faz anos que não acontece isso. Foi uma emboscada. A própria polícia, seguranças do aeroporto e do clube, falaram que tinham 12 pessoas. Pedimos para sair pela pista, mas não permitiram, mas tinha mais de 30, 40 torcedores", disse o presidente.

Futebol