PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Clubes alagoanos se unem para pedir volta de torcedores aos estádios

Torcida do CSA no estádio em Maceió - Bruno Fernandes
Torcida do CSA no estádio em Maceió Imagem: Bruno Fernandes

Bruno Fernandes

Colaboração para o UOL, em Maceió

13/09/2020 17h30

Os rivais CRB e CSA, integrantes da Série B do Brasileiro, se uniram pela volta das torcidas aos estádios de Alagoas. Neste domingo (13) os presidentes dos clubes (Marcos Barbosa e Rafael Tenório, respectivamente) emitiram uma nota conjunta manifestando este desejo, já que "shoppings e bares" estão funcionando no estado. A pretensão, segundo eles, se baseia no fato dos números de casos de Covid-19 apresentarem significativa redução.

Além da reabertura dos bares e dos shoppings, os mandatários afirmam que os clubes estão sofrendo prejuízos inestimáveis com a falta de público, e que o valor arrecadado com a presença das torcidas é "fator preponderante para a manutenção, não só dos atletas, mas de todo um corpo de funcionários, que desde o início da pandemia, não deixou de receber seus salários".

A paralisação do futebol alagoano e consequentemente a presença de torcidas nas arenas de todo o estado foram determinadas no dia 16 de março, quando Alagoas registrava até aquele momento, 14 casos confirmados do novo Coronavírus. A decisão foi tomada em conformidade com os oito clubes participantes do Estadual em conjunto com o Sindicato dos Atletas do Estado de Alagoas e com o Sindicato dos Árbitros de Futebol de Alagoas.

Após mais de quatro meses de paralisação em razão da pandemia que cresceu significativamente em Alagoas, todos os jogos em Alagoas, assim como em todo o Brasil passarão a ser realizados sem a presença de público.

Os cartolas possuem o apoio da Federação Alagoana de Futebol (FAF), para intermediar o desejo frente ao Governo do Estado e à Prefeitura de Maceió. "Nossos clubes vêm a meses sofrendo prejuízos inestimáveis com a falta de público", afirma a nota.

Para a retomada, os clubes afirmam que entendem a necessidade de paralisação das atividades durante a crescente onda de casos registrados há alguns meses e que sempre apoiaram integralmente as medidas, mas que "nosso pedido também leva em consideração o fato de estabelecimentos como shoppings, bares, restaurantes, igrejas e pontos turísticos já terem retornado gradativamente suas atividades".

Os cartolas afirmam, no entanto, que em caso de uma possível retomada serão cumpridas todas as normas estabelecidas pelas autoridades sanitárias como como a disponibilização de medidores de temperatura, álcool em gel nas entradas do estádio e nos banheiros, além da utilização obrigatória de máscaras.

Covid-19 em Alagoas

Alagoas completou mais de 180 dias do registro do primeiro caso de infecção em decorrência do novo coronavírus. De lá para cá, a evolução da doença se alterou bastante ao longo desse tempo.

Durante o segundo e o terceiro mês, Alagoas chegou a registrar momentos de muita turbulência, registrando taxas de contágio e picos de contaminação quando os demais estados da região já sinalizavam para o arrefecimento do novo coronavírus. Atualmente, o estado está em queda constante.

O primeiro momento de preocupação mais evidente ocorreu entre a segunda quinzena de abril até a segunda quinzena do mês de junho, quando as taxas de infecções pelo vírus e óbitos cresceram em um ritmo bastante acelerado.

À medida que a doença se expandia para o interior, a capital do estado - Maceió - começou a ter uma queda no número de óbitos e ter uma redução na taxa de ocupação de leitos exclusivos para covid-19. Essa foi a justificativa principal do governo para a apresentação do Plano de Distanciamento Controlado do estado.

Apesar do pedido dos clubes, a decisão está a cargo do governador Renan Filho, pode enfrentar resistência, visto que o chefe do Executivo estadual afirmou durante anúncio da atualização do Plano de Distanciamento Social Controlado que "não é prudente agir como se a pandemia já tivesse passado".

Atualmente, Maceió e o interior do estado vão permanecer nas fases azul e amarela, respectivamente, dentro do Plano de Distanciamento Social Controlado estabelecido pelo Governo do Estado para o enfrentamento da covid-19 em Alagoas. Segundo ele, é preciso avaliar melhor os números da Covid-19 local, nacional e internacionalmente para tomar as decisões.

Neste domingo, foram confirmados mais 202 casos da covid-19 e outras 7 novas mortes em Alagoas, segundo dados do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Com essa nova atualização, o estado tem um total de 82.230 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 1.183 estão em isolamento domiciliar.

Outros 79.008 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença. Os casos confirmados de pessoas com a Covid-19 estão distribuídos nos 102 municípios alagoanos.

Em relação ao quadro total de óbitos em Alagoas, estão confirmados 1.979 óbitos por covid-19, mas, oito deles, eram de pessoas residentes em Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia, tendo como vítimas seis homens e duas mulheres.

Procurada, a Federação Alagoana de Futebol informou que um documento com todas as medidas propostas para a retomada está sendo elaborado e será protocolado junto ao Governo de Alagoas, mas que para isso ainda não existe uma data definida. A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Maceió, que afirmou ainda não ter uma posição sobre o pedido. A Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude (Selaj-AL), responsável por administrar o Estádio Rei Pelé, também foi procurada, mas não respondeu a solicitação.

Futebol