PUBLICIDADE
Topo

Líder, Réver trabalha com coach para lidar com pressão no Atlético-MG

Réver, zagueiro do Atlético-MG, conta com trabalho de coach esportivo em nova passagem pelo clube - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Réver, zagueiro do Atlético-MG, conta com trabalho de coach esportivo em nova passagem pelo clube Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

24/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Rafael Dudamel chegou ao Atlético-MG com um coach motivacional em sua comissão. O treinador trouxe ao Brasil o também venezuelano Jeremías Álvarez
  • A decisão do treinador causou surpresa, mas há quem conte com um especialista na área para o dia a dia no futebol
  • Réver trabalha com o psicólogo e coach esportivo Cleo Holanda. Ele atua como psicólogo no América-RJ e é coach esportivo particular de alguns atletas
  • Com o zagueiro desde o Fla, o coach diz: "Todo jogador sofre pressão e é notório que o Réver retornou ao Atlético muito mais preparado"

Rafael Dudamel chegou ao Atlético-MG com um coach motivacional em sua comissão técnica. O treinador trouxe ao Brasil o também venezuelano Jeremías Álvarez. A decisão do treinador causou surpresa, mas há quem conte com um especialista na área para o dia a dia.

Réver, capitão do Galo, trabalha com o psicólogo e coach esportivo Cleo Holanda. Ele atua como psicólogo no América-RJ e é coach esportivo particular de alguns jogadores de futebol renomados. Atualmente ele tem clientes no Brasil, Japão e Arábia Saudita.

Ele atende o zagueiro desde os tempos de Flamengo. Eles começaram a trabalhar juntos no Rio de Janeiro e, graças ao que foi feito na capital fluminense, a parceria continua em Belo Horizonte.

"Todo jogador sofre muita pressão em alguns momentos da carreira, seja da torcida, da imprensa, do próprio clube, da própria família. E é notório que o Réver retornou ao Atlético em 2019 muito mais preparado psicologicamente para enfrentar as batalhas da profissão. Ele tem um profissionalismo fora do comum e conseguimos que ele crescesse não apenas no campo, mas também como indivíduo", disse Cleo Holanda ao UOL Esporte.

"Recentemente, por exemplo, o Réver foi mais pressionado pela imprensa e pela torcida, mas certamente ele não vai se abater, por ser um atleta extremamente resiliente e vitorioso em sua carreira", acrescentou.

Cleo Holanda fala ainda sobre a resistência à profissão. Ele crê que, por ser algo novo no meio do futebol, há insegurança entre os envolvidos.

"O medo do 'desconhecido' é ativado e os aspectos de tensão e ansiedade aumentam, por isso, se faz necessário um trabalho de regulação emocional e potencializar o capital psicológico positivo da equipe, como: otimismo, esperança, auto eficácia e resiliência", concluiu.

Atlético-MG