PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Camacho admite contato em são-paulino, mas garante: "não foi pênalti"

Igor Gomes e Camacho no duelo mais polêmico do clássico entre São Paulo e Corinthians hoje (15), no Morumbi - Daniel Vorley/AGIF
Igor Gomes e Camacho no duelo mais polêmico do clássico entre São Paulo e Corinthians hoje (15), no Morumbi Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

15/02/2020 22h33

O volante Camacho falou sobre o lance mais polêmico do empate sem gols entre São Paulo e Corinthians hoje (15), no Morumbi, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. O camisa 20 foi "acusado" de cometer pênalti em Igor Gomes no finalzinho do jogo, aos 46 minutos do segundo tempo. O lance gerou revolta entre jogadores e dirigentes são-paulinos, que pressionaram a arbitragem no gramado e até na descida para o vestiário.

Camacho fez questão de dizer que assistiu ao vídeo do lance no vestiário. O volante admite que houve contato, mas que o meia do São Paulo "valorizou" e sem jogou na grande área. O corintiano ressaltou que o árbitro manteve o critério utilizado fora da área.

"Acabei de ver o lance no vestiário, ele cortou para a perna ruim. Ele viu que não ia conseguir chutar e esperou o contato, existiu o contato, mas não era para derrubar ele. Foi contato de jogo, teve vários assim no meio-campo e o juiz mandou seguir. E para mim não foi pênalti", afirmou Camacho.

Camacho foi um dos melhores jogadores do clássico. Além de iniciar a maioria das jogadas do Corinthians, ele salvou o time da derrota no primeiro tempo ao "roubar" a bola de Hernanes no momento em que o são-paulino finalizaria, livre, na frente de Cássio.

Camacho aprovou o primeiro desempenho do Corinthians após a eliminação na "Pré-Libertadores", diante do Guaraní-PAR, na última quarta-feira, na Arena de Itaquera.

"Foi boa (atuação do Corinthians), um jogão. Os dois times tiveram chances de vencer. Perdemos gols e eles também, mas no final sentimos mais do que eles. Eles ficaram a semana toda descansando e pesou mais para o Corinthians", concluiu.

Futebol