PUBLICIDADE
Topo

Elogios de compatriotas e Copa América: o que levou Viña ao Palmeiras

Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

12/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Matías Viña possuía interessados no futebol europeu, mas escolheu defender o Palmeiras por três motivos principais.
  • Primeiramente, o lateral vê o Brasil como palco dos "melhores jogadores da posição" e crê que pode evoluir muito no futebol nacional.
  • Viña revelou a ajuda de Victorino e Eguren ao Palmeiras. Os dois jogaram com o ele no Nacional e elogiaram o clube palestrino.
  • O lateral de 22 anos também vê o futebol brasileiro como capaz de aproximá-lo da seleção uruguaia.
  • O jogador defendeu a Celeste Olímpica no ano passado em seis oportunidades.
  • Ainda não há uma data para a estreia de Matías Viña pelo Palmeiras.
Classificação e Jogos

Matías Viña se consagrou o melhor jogador do Campeonato Uruguaio de 2019. O status alcançado no país rapidamente despertou a atenção do futebol europeu; contudo, o lateral esquerdo escolheu o Palmeiras. Durante o primeiro dia de trabalho com os outros companheiros de clube, o jogador de 22 anos listou os motivos que o levaram a preferir a mudança para outra nação sul-americana.

Três pontos favoreceram o Palmeiras. O primeiro se encontra nos elogios ao clube, feitos por ex-atletas uruguaios que vestiram alviverde. Outro motivo está no futebol brasileiro e a tradição de laterais do mais alto nível, especialmente pelo lado esquerdo, coberto por Viña. Aqui, o defensor ainda se vê mais próximo no campo de observação da seleção.

"Vendo a minha posição, o melhor é estar aqui. Os melhores da minha posição saíram daqui do Brasil e estou vindo para um clube muito grande. Venho para aprender e curtir. O futebol brasileiro vai ajudar muito no meu crescimento", afirmou Viña, que quer estar próximo também da seleção uruguaia, não apenas do país de origem.

"Quero estar em um bom ritmo também para a Eliminatória [Sul-Americana à Copa de 2022] e Copa América, acredito que aqui posso estar na lista da minha seleção", acrescentou Viña, que disputou seis jogos com a camisa celeste no ano passado.

Para convencer um jogador de seleção a adiar o sonho de futebol europeu, o Palmeiras contou com a ajuda de ex-atletas do clube. Eguren (2013 a 2015) e Victorino (2014) atuaram com Viña no Nacional e não economizaram nos elogios.

"Os dois foram meus companheiros e me falaram muito bem do clube. Com certeza, isso foi uma coisa que me motivou para vir", destacou o lateral, antes de já entrar no discurso do clube sobre a principal prioridade para a temporada de 2020.

Matías Viña (dir) foi apresentado ontem (11) como novo reforço do Palmeiras - Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Matías Viña (dir) foi apresentado ontem (11) como novo reforço do Palmeiras
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

"O sonho de todos os jogadores de futebol é ganhar a Copa Libertadores. Vamos disputá-la da melhor maneira e fazer de tudo para trazer este título para o Palmeiras. Estamos em condição de brigar com qualquer um da América do Sul. Agora vamos treinar e tratar de fazer o melhor", destacou.

A Libertadores citada por Matías Viña ainda é uma competição com início a médio prazo. A estreia palmeirense está marcada para o dia 4 de março contra o Tigre, na Argentina. Antes, o uruguaio vai encarar o Paulistão.

A estreia pode acontecer neste fim de semana, caso o Palmeiras consiga a regularização. Para isso, o nome de Viña precisa aparecer no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e ser inscrito no Estadual.

No domingo (16), às 16h (de Brasília), o Palmeiras recebe o Mirassol, no Allianz Parque. Ainda sem saber se com Viña ou sem Viña dentro dos relacionados.

Palmeiras