PUBLICIDADE
Topo

Paulista - 2020

Santos e Red Bull Bragantino não saem do 0 a 0 em jogo de poucas chances

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

23/01/2020 21h10

Classificação e Jogos

O Santos empatou com o Red Bull Bragantino na noite de hoje (23) por 0 a 0, na Vila Belmiro, em jogo válido pela primeira rodada do Campeonato Paulista 2020. O duelo marcou a estreia do técnico português Jesualdo Ferreira pelo Peixe.

Com o resultado, o Peixe lidera o grupo A da competição mesmo com apenas um ponto, já que Ponte Preta, Água Santa e Oeste perderam na rodada. Já o Bragantino viu o Guarani, que venceu, abrir vantagem no grupo D e aguarda o resultado do Corinthians, que ainda joga na rodada.

O Santos volta a campo nesta segunda-feira, às 20h, para enfrentar o Guarani, em Campinas. O Red Bull Bragantino também atua no mesmo dia e horário, quando recebe a Inter de Limeira.

O melhor: Everson

Em jogo de poucas oportunidades de gol, o goleiro santista salvou o empate saindo da meta para defender chute de Ytalo. Depois, contou com a sorte quando o camisa 9 saiu na cara do gol novamente e viu a bola tocar no travessão.

Quem foi mal: Pituca

O segundo volante santista não conseguiu dar ritmo ao meio-campo do Santos, que não funcionou o jogo todo. Com Alison mais postado entre os zagueiros, era do camisa 21 e de Sánchez a responsabilidade de armar o time. O uruguaio se apresentou mais e errou menos, mas também pouco criou para o Peixe.

A atuação do Santos: Dificuldades de criação na estreia

O Peixe de Jesualdo não teve a estreia dos sonhos do português. A equipe teve muitas dificuldades para criar jogadas o jogo todo e não ameaçou o gol do Bragantino. O Peixe jogou com Alison entre os dois zagueiros, avançando os laterais que formavam quase uma linha de quatro com Pituca e Sánchez por dentro. No entanto, a saída de bola não funcionou e dificultou o jogo do Peixe.

O jogo do Red Bull Bragantino: Equipe vai pra cima do Peixe

A equipe do interior paulista não se intimidou em jogar na Vila Belmiro. Armado quase em um 4-2-4 quando com a bola, o Bragantino jogou de igual para igual com o Santos, mas não conseguiu criar chances claras de gol na primeira etapa. Ainda que com uma formação ofensiva, o Red Bull marcou muito bem o Peixe, que teve problemas para criar jogadas. A equipe melhorou com a entrada de Thonny Anderson. Em duas jogadas seguidas, perto dos 20 minutos, Everson e o travessão salvaram o Peixe em chutes de Ytalo.

Cronologia do jogo

Santos e Bragantino fizeram um jogo bastante amarrado na primeira etapa. Ambos tiveram dificuldades de criação e a única chance real de gol saiu aos 38 minutos em chute de fora de Sánchez que passou perto do travessão de Julio Cesar.

O segundo tempo seguiu o ritmo lento do primeiro. Mais uma vez a chance veio em chute de fora da área. Aos 16 minutos, Pará bateu forte para defesa de Julio Cesar em escanteio. Na cobrança, Pará recebeu na entrada da área e levantou para Eduardo Sasha cabecear por cima.

O Red Bull melhorou após a entrada de Thonny Anderson. O atacante tabelou com Ytalo em seu primeiro lance e deixou o camisa 9 na cara do gol, mas Everson salvou. Poucos minutos depois, novamente Ytalo saiu sozinho e acertou o travessão. A noite era mesmo de 0 a 0.

Partida tem show de Supla no intervalo

No intervalo de jogo, o cantor e santista Supla fez um show no gramado para os presentes no estádio. O evento foi parte da festa de comemoração pelo aniversário de 474 anos da cidade de Santos.

Ficha Técnica
Santos 0 x 0 Red Bull Bragantino

Data: 23/01/2020
Horário: 19h15 (de Brasília)
Local: Vila Belmiro, em Santos
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Evandro de Melo Lima e Risser Jarussi Corrêa
Amarelos: Carlos Sánchez; Ligger, Barreto, Edimar e Artur

Santos: Everson; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Kaio Jorge (Raniel), Marinho (Derlis) e Eduardo Sasha (Arthur Gomes). Técnico: Jesualdo Ferreira

Red Bull Bragantino: Julio Cesar; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Edimar; Barreto (Vitinho), Uillian Correa e Bruno Tubarão (Thonny Anderson); Artur, Claudinho (Morato) e Ytalo. Técnico: Vinicius Munhoz