PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras foi exemplo para rival que poderia ter rebaixado Cruzeiro em 2011

Alexandre Kalil, presidente do Atletico-MG, usou o Palmeiras como exemplo em 2011 - Fernando Soutello/AGIF
Alexandre Kalil, presidente do Atletico-MG, usou o Palmeiras como exemplo em 2011 Imagem: Fernando Soutello/AGIF

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

08/12/2019 04h00

O Palmeiras entra em campo hoje, a partir das 16h, no Mineirão, com a missão de brigar pelo vice-campeonato do Campeonato Brasileiro. É impossível não lembrar, no entanto, que se conseguir alcançar seu objetivo o time paulista automaticamente rebaixará o Cruzeiro.

A partida, inclusive, remete a episódio de 2011, quando o Alviverde foi usado como exemplo para Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG daquela época. Na ocasião, ele usou a força de vontade dos palmeirenses em um dérbi em que apenas o título para o Corinthians estava em jogo.

Kalil lamentou que o Atlético-MG não tenha mostrado a mesma vontade que o Palmeiras. Na ocasião, o Galo jogou contra o Cruzeiro e poderia rebaixar o arquirrival, mas perdeu por 6 a 1. Em ambas as ocasiões, os palmeirenses e atleticanos não tinham mais objetivos próprios na tabela e jogavam apenas para prejudicar os adversários.

"Eu assisti a Corinthians e Palmeiras ontem à noite, e aquele time do Palmeiras que jogou contra o Corinthians era o Atlético que eu queria ter contra o Cruzeiro, time mobilizado, com a faca entre os dentes, sangue no olho e meu time não estava com sangue no olho", esbravejou o cartola, em coletiva de imprensa.

"Se sou jogador aquele jogo não acaba, aquele time andando em campo, jogando contra 11 leões, e quando jogador do Cruzeiro acaba o jogo e pede desculpa para a torcida, aquilo magoa, aquilo doeu no meu coração, assim como doeu assistir a Corinthians e Palmeiras", completou.

Neste domingo, o Palmeiras ainda pode lutar pelo vice-campeonato e precisa vencer e torcer para que o Santos não bata o Flamengo. O jogo, assim como foi na goleada sobre o Goiás, na quinta-feira, será marcado por uma série de desfalques do time paulista.

Gabriel Verón comemora gol do Palmeiras contra o Goiás -  Rebeca Reis/AGIF -  Rebeca Reis/AGIF
Gabriel Verón comemora gol do Palmeiras contra o Goiás
Imagem: Rebeca Reis/AGIF

A lista tem as ausências de Gustavo Gómez, Vitor Hugo, Felipe Melo, Gustavo Scarpa, Hyoran, Thiago Santos e Luiz Adriano. Há chance até de Gabriel Veron entrar como titular.

A presença do jovem da base, aliás, já foi motivo para os rivais do Cruzeiro lembrarem de partida da Libertadores de 2009, quando o jogador argentino que inspirou o nome da revelação palmeirense liderou o Estudiantes a vencer os mineiros na final.

Veron entrou no jogo contra o Goiás, registrou dois gols e uma assistência e se transformou no segundo mais jovem da história do Palmeiras a balançar as redes. Ele é símbolo de esperança para 2020.

Band: Denilson zoa Héverton com possível queda do Cruzeiro

Jogo Aberto

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO X PALMEIRAS

Data
: 08 de dezembro de 2019, domingo
Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Luis Claudio Regazone e Silbert Faria Siquim (ambos do RJ)
VAR: Carlos Eduardo Braga Nunes (RJ)

CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Léo, Cacá e Dodô; Henrique, Éderson; Marquinhos Gabriel (Jadson), Pedro Rocha e David (Ezequiel); Fred.
Técnico: Adilson Batista

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Antônio Carlos e Victor Luís; Matheus Fernandes, Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu, Veron e Willian
Técnico: Andrey Lopes

Palmeiras