Topo

Ex-jogador foi chamado de infiltrado e expulso do Allianz: "Pensei o pior"

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

03/12/2019 11h58

Resumo da notícia

  • Viralizou vídeo que mostra dois homens hostilizados e expulsos do Allianz Parque
  • Isto ocorreu durante a partida entre Palmeiras e Flamengo, no domingo (1)
  • Joabes Santos e Diego Lima dizem ter sido chamados de infiltrados no local
  • Lima, porém, é torcedor palmeirense de infância e ex-jogador profissional
  • Palmeiras afirmou que se manifestará sobre este caso em breve

Um vídeo publicado no Facebook na noite do último domingo (1) e que começou a viralizar em outras redes sociais nesta manhã mostra dois homens sentados nas cadeiras do setor Gol Norte do Allianz Parque, sendo hostilizados e em seguida deixando o estádio, onde o Palmeiras foi derrotado por 3 a 1 pelo Flamengo em jogo da 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ambos não vestiam camisas do Palmeiras e foram considerados infiltrados por uniformizados que estavam na área.

Um até gritou: "Você é palmeirense? Então me dá seu celular", como um pedido para que ele provasse sua torcida. O Palmeiras investiga o caso e promete expulsar os envolvidos na coação de seu quadro associativo.

Os dois homens se chamam Joabes Santos e Diego Lima e pouco reagem durante a gravação feita por outro torcedor. Lima, aliás, é um ex-jogador profissional de futebol de 34 anos que está aposentado desde 2017. Hoje ele dá aulas de futebol na escolinha do Botafogo de Guaianazes, um clube amador da Zona Leste de São Paulo, além de treinos particulares de futebol e jogos na várzea. Ele diz que é torcedor do Palmeiras de infância e tem o costume de frequentar jogos ao lado de amigos, inclusive como convidado de jogadores de quem é amigo, como Renê Júnior, do Corinthians.

"Foi tudo tranquilo até aquele momento. Eu estava com a minha esposa e meu amigo estava com a esposa e a filhinha. Deixamos as três no Shopping Bourbon e fomos assistir ao jogo. Nem fomos para o lado da Mancha [principal organizada do Palmeiras], fomos para um lugar que tinha outras pessoas não uniformizadas. Quando terminou o primeiro tempo um grupo se virou para nós, disse que não estávamos de camisa e que éramos torcedores do Flamengo. Aí começou toda aquela humilhação, porque outros que nem sabiam o que estava acontecendo já acreditaram naquilo", conta, ao UOL Esporte, Diego Lima, que segue:

"Nunca passei por algo tão humilhante, fiquei surpreso. Os caras do nada vieram falar que éramos infiltrados, chamando de molambos. Poxa, eu torcia para o Palmeiras quando moleque. Cresci como jogador de futebol, então não tive mais aquela animação de torcedor, mas fui para assistir um bom futebol. Nem pensei sobre a camisa, completamente sem maldade. Não somos frequentadores, era minha primeira vez no estádio. Mas infelizmente aconteceu. Quando saímos dali o pessoal do andar de cima começou a cuspir na gente, alguns torcedores correndo atrás. Meu amigo teve que entrar dentro de uma lanchonete, eles entraram atrás. Até que alguns policiais chegaram. Pensei que o mal ia acontecer, pensei o pior. Fomos assistir ao jogo e obrigados a sair como se tivéssemos cometido um erro."

O Palmeiras se manifestou sobre o assunto por meio de uma nota publicada em seu site. O clube diz que o ato de seus torcedores não reflete "a história agregadora da nossa instituição": "O respeito ao próximo é o mínimo que se espera em qualquer ambiente, ainda mais em uma praça esportiva."

Amigos Joabes Santos e Diego Lima publicaram foto antes da partida entre Palmeiras e Flamengo começar - Reprodução/Facebook
Amigos Joabes Santos e Diego Lima publicaram foto antes da partida entre Palmeiras e Flamengo começar
Imagem: Reprodução/Facebook

No mesmo dia do jogo, Diego Lima publicou um texto no Facebook com o vídeo que recebeu de um amigo. Este vídeo foi enviado por um torcedor em um grupo de palmeirenses no WhatsApp e a legenda contava que um flamenguista infiltrado havia sido expulso. Um amigo de Diego reconheceu a ele e Joabes e enviou. No desabafo online, ele fala em "situação constrangedora" e reflete: "Onde vamos parar com tanta violência? Que país é esse? Minha vida sempre foi futebol, esses caras que fizeram isso com a gente são covardes. Não representam o Palmeiras de verdade."

"Minha intenção em publicar o vídeo foi para as pessoas terem consciência da gravidade que é o assunto. Imagina se eu tivesse levado meu filho para o jogo. É falta de respeito."

Lima atuou profissionalmente entre 2005 e 2017, quando se aposentou pelo Flamengo-PI. Ele chegou a defender o Belenenses, de Portugal, além de uma série de clubes nordestinos, como Central-PE, Sergipe-SE e Campinense-PB.

Veja a íntegra da nota oficial divulgada pelo Palmeiras:

"Estádio de futebol é, essencialmente, um espaço democrático, um lugar onde todos deveriam ser bem-vindos independentemente da camisa que vestem ou da forma como torcem e se expressam. A Sociedade Esportiva Palmeiras não compactua e não aceita quaisquer atos de intimidação, intolerância e discriminação em nossa casa. Os episódios do último domingo (01), em que espectadores foram coagidos a deixar o Allianz Parque por não seguirem um padrão de comportamento imposto de maneira autoritária, não refletem a história agregadora da nossa instituição.

Assim que tomamos conhecimento dos fatos, abrimos investigação para identificar os autores desses lamentáveis casos de violência que em nada contribuem para o bom convívio em sociedade. Se os responsáveis constarem do quadro de sócios Avanti do Palmeiras, serão sumariamente excluídos do programa. O respeito ao próximo é o mínimo que se espera em qualquer ambiente, ainda mais em uma praça esportiva."

Palmeiras