Topo

Seleção Brasileira


Até roda de bobinho explica Daniel Alves como pilar da seleção aos 36 anos

Daniel Alves, lateral-direito do São Paulo, durante treino da seleção brasileira nos EUA - Lucas Figueiredo/CBF
Daniel Alves, lateral-direito do São Paulo, durante treino da seleção brasileira nos EUA Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Bruno Grossi

Do UOL, em Miami (EUA)

06/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Daniel Alves está perto de completar 13 anos de seleção brasileira
  • Para o técnico Tite, o lateral-direito segue como um dos pilares do time canarinho
  • Dani está com 36 anos, voltou a jogar no Brasil, mas ainda quer jogar outra Copa do Mundo
  • O São Paulo fez um contrato até o Mundial de 2022, no Qatar, com o lateral

A trajetória de Daniel Alves na seleção brasileira completará, em outubro, 13 temporadas. Uma jornada longa, com frustrações em Copas do Mundo, mas cheia de recordes e feitos importantes. O mais recente deles foi ser capitão e melhor jogador da conquista da Copa América, em julho. E, se depender do lateral-direito e do técnico Tite, esse não será o último grande feito.

Mesmo aos 36 anos, Daniel ainda é considerado um pilar para a seleção. Tite faz questão de ressaltar isso a cada entrevista e em cada ato. Ver o agora jogador do São Paulo como titular do Brasil no amistoso de hoje contra a Colômbia é mais uma prova. Às 21h30 (de Brasília), em Miami, nos Estados Unidos, ele mais uma vez terá o papel de liderar o time canarinho.

Essa liderança vem do comportamento em campo, como foi possível notar na semifinal da Copa América contra a Argentina, no Mineirão. Mas também passa por atitudes menores - ou menos visíveis - no dia a dia da seleção. Daniel Alves esbanja competitividade até em rodas de bobinho, leva a sério trabalhos simples e se preocupa em orientar os mais novos.

"Que ele seja exemplo para todos por mais tempo, porque ele continua em alto nível, porque faz seu treinamento sempre em situação parecida com o jogo. E eu não conheço equipe de alto nível que não faça sempre os treinos em sua melhor condição, em termos técnicos e táticos. Ele é um exemplo para o mais jovem, sempre", destacou Tite.

Os jogadores também exaltam o poder que Daniel tem no elenco. O capitão sonha e demonstra a todos o desejo de disputar a quarta Copa do Mundo da carreira. Ele terá 39 anos no Mundial do Qatar, em 2022, e, ainda assim, os colegas apostam que Dani seguirá como ponto de referência para a seleção.

"É muito importante ter a experiência do Daniel Alves. Ele me ajuda muito e a todos os que estão chegando agora na seleção. Ele está sempre nos mostrando o melhor caminho, inclusive dentro de campo", afirmou Richarlison, que atuará pela direita do ataque, bem próximo a Dani. Quem também falou sobre o lateral foi Alex Sandro: "O Dani sempre foi um ótimo líder, amigo e exemplo. Todos se sentem bem com o Daniel em campo, sendo capitão ou não".

FICHA TÉCNICA:
BRASIL X COLÔMBIA

Local: Hard Rock Stadium, em Miami (Estados Unidos)
Data/Hora: 6 de setembro de 2019, às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Ismail Elfath (EUA)
Assistentes: Corey Parker e Adam Wienckowski (EUA)

Brasil: Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Richarlison, Neymar e Roberto Firmino. Técnico: Tite.

Colômbia: David Ospina, Stefan Medina, Davinson Sánchez, Yerry Mina e William Tesillo; Wilmar Barrios, Matheus Uribe e Juan Cuadrado; Luis Muriel, Luis Díaz e Duvan Zapata. Técnico: Carlos Queiroz.

Mais Seleção Brasileira