Topo

Grêmio sente desfalques e mostra dependência de Everton Cebolinha

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

05/09/2019 04h00

O Grêmio foi eliminado da Copa do Brasil com uma atuação apática, fora do padrão do time, e diagnosticou que as baixas se tornaram mais pesadas do que o imaginado. Após a equipe levar 2 a 0 do Athletico Paranaense no tempo normal e perder por 5 a 4 nos pênaltis, entendeu-se que Maicon fez muita falta. A lesão de Leonardo, ainda no primeiro tempo, afetou a estratégia nas trocas, e a dependência de Everton Cebolinha ficou muito clara.

Artilheiro do Grêmio em 2019, Everton ficou fora do jogo em Curitiba por estar suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos. Pepê foi o escolhido para o seu lugar e não foi bem no tempo normal. Pior do que a atuação discreta com a bola rolando foi a cobrança errada que definiu a disputa de pênaltis.

"O Grêmio sentiu muito a falta do Maicon e do Everton. São dois jogadores fundamentais no nosso esquema de jogo. O Everton tomou um cartão infantil na Arena, e o Maicon se machucou (...) E infelizmente ainda perdemos o Leonardo, e ali saiu o primeiro gol e fiquei com duas trocas", disse Renato Gaúcho, após a partida.

A vaga de Maicon, vetado por lesão na panturrilha direita, ficou com Rômulo. O volante emprestado pelo Flamengo vinha de bons treinos e atuações melhores nas últimas semanas, mas impactou negativamente na mecânica de jogo do Grêmio.

"Estava muito difícil. Sentimos muito a falta do Maicon e do Everton. O Athletico esteve bem melhor e mereceu a classificação. Nós pagamos por isso. E olha que fiquei desde ontem conversando bastante, tive uma reunião de uma hora ontem, outra de uma hora hoje. Pagamos pelos nossos erros, além das duas faltas que tivemos", reiterou Renato.

Leonardo foi substituído por Rafael Galhardo, já que Léo Moura está no departamento médico. O camisa 42 também não viveu boa noite. Na disputa de pênaltis, pelo menos, o lateral acertou a conclusão. Pouco diante do que era esperado.

A dependência de Everton, no entanto, é a principal lição do jogo na Arena da Baixada. Sem o camisa 11, o ataque ficou previsível e mais lento. Autor de 13 gols na temporada, Cebolinha foi protagonista, por exemplo, na vitória sobre o Palmeiras pela Libertadores.

O Grêmio volta a campo no domingo, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte, pelo Brasileirão.