Topo

Caso Daniel


Caso Daniel: Allana Brittes chega para audiência acompanhada de advogados

Roberty Souza

Colaboração para o UOL, em São José dos Pinhais (PR)

04/09/2019 09h01

Allana Brittes chegou na manhã de hoje (04) ao Fórum de São José dos Pinhais (PR), onde será interrogada sobre o assassinato de Daniel Correa em outubro de 2018. O pai de Allana, Edison Brittes Júnior, confessou ter matado o jogador após um "after party" na casa da família e está preso pelo crime.

Os sete réus acusados de diferentes crimes falam a partir de hoje à juíza Luciani Martins de Paula na audiência de instrução, que vai decidir se o caso vai a júri popular. A ordem dos interrogatórios foi definida pela juíza após pedido da defesa dos Brittes para que Edison falasse por último. A primeira a falar sua versão dos fatos de 27 de outubro é Allana, depois será a vez de Evellyn Perusso. As duas respondem em liberdade.

Após as falas das duas garotas, a juíza decidiu por seguir a sequência da denúncia do Ministério Público com Edison Brittes, Ygor King, David Vollero, Eduardo Henrique da Silva e Cristiana Brittes.

Esta foi a primeira vez que Allana passou livremente pela imprensa, sem esconder o rosto ou que fosse feito o tradicional cordão de isolamento de seus advogados. Na audiência adiada do mês passado, a equipe de defesa da família Brittes driblou os jornalistas para evitar assédio sobre a garota.

Allana Brittes responde em liberdade por fraude processual e coação de testemunha. Ela foi solta no último mês após ter habeas corpus.

O advogado de defesa da família Brittes, Cláudio Dalledone Júnior, chegou ao lado de Allana. "Ela nunca esteve escondida, o que se evitou foram especulações que não trazem benefício. Processo criminal é sério, não é instrumento de condenação de ninguém. Ela nunca esteve escondida. Foi solta pelo STJ de forma unânime", comentou.

Allana Brittes chega ao Fórum de São José dos Pinhais - Reprodução
Allana Brittes chega ao Fórum de São José dos Pinhais
Imagem: Reprodução
Além de Allana, seis réus respondem em diferentes níveis pelo crime. Edison Brittes Júnior, David Vollero, Eduardo da Silva e Cristiana Brittes, a mãe de Allana, são processados por homicídio. Evellyn Perusso responde em liberdade por falso testemunho.

Dalledone ressaltou que espera agora que Cristiana Brittes seja solta. "Aguardamos hoje a soltura da Cristiana. Pedimos a revogação diretamente à juíza e a primeira coisa da audiência eu vou pedir que a juíza se manifeste, se manifeste pela soltura e revogação da prisão preventiva. O processo está maduro para isso", disse.

Antes do começo dos interrogatórios dos réus, o apresentador da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná, será ouvido como testemunha. Ele foi chamado pela defesa da família Brittes para ser questionado sobre o celular de Cristiana Brittes, ao qual o profissional de imprensa teria tido acesso antes da polícia durante o inquérito policial. "Estou bem tranquilo. Vamos ver o que querem. Que isso não vire costume de tirar jornalista de suas funções para trazer ao fórum, por exemplo, onde está sendo investigado algo maior que é um homicídio", falou o jornalista antes de entrar na audiência.

"Com todo respeito à defesa dos acusados, que tem feito bom trabalho, o depoimento do João Gimenes não tem a ver com os fatos. Nada altera a denúncia", analisou o assistente de acusação e advogado da família de Daniel Nilton Ribeiro.

Mais Caso Daniel