Topo

Jogos do time reserva criam disputa por vaga de 12º jogador do Inter

Wellington Silva marcou contra o Fortaleza e é exemplo de aproveitamento do time reserva - Ricardo Duarte/Internacional
Wellington Silva marcou contra o Fortaleza e é exemplo de aproveitamento do time reserva Imagem: Ricardo Duarte/Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

23/08/2019 12h00

O Internacional tem utilizado o time reserva em boa parte dos jogos do Brasileiro. Pelo acúmulo de partidas em razão da Libertadores e da Copa do Brasil, Odair Hellmann opta por rodar o elenco. E não são apenas os titulares que se beneficiam com isso. A disputa entre os reservas cresce e quem se destaca ganha pontos para virar alternativa.

Obviamente, os jogadores do time titular ganham descanso e tempo de treinamento não atuando no Brasileirão. D'Alessandro jogou oito e Guerrero sete partidas do campeonato, por exemplo. Pela prioridade aos jogos eliminatórios de Copa do Brasil e Libertadores.

Mas os reservas utilizam os compromissos para ganhar espaço e disputar o posto de 12º jogador.

O exemplo mais recente é Wellington Silva. Foi nos jogos do time suplente que o ex-Fluminense conseguiu reverter um início ruim no Colorado e mostrou serviço para ser um dos primeiros a entrar nos jogos do time principal.

Outro que tem feito isso é Guilherme Parede. Depois de um tempo afastado, ele participou diretamente do gol da vitória contra o Fortaleza e já recebeu oportunidade no fim do jogo contra o Flamengo pela Libertadores.

E agora Nico López poderá passar por processo semelhante. Cotado na partida de domingo contra o Goiás, o uruguaio que não vive boa fase, terá, entre os suplentes, a chance de se reencontrar e voltar mais forte ao time ideal.

Para Nico serve o exemplo de Bruno, que era reserva de Zeca e manteve o ritmo no time de baixo. Após aproveitar as chances, em uma lesão do colega conquistou seu lugar e é o novo titular da lateral direita.

Na briga para ser o 12º jogador, quem ficou para trás foi William Pottker. Entre idas e vindas do departamento médico, o goleador do Brasileirão de 2016 acabou alijado do processo e está distante das primeiras opções.

Correndo por fora aparece Sarrafiore. O argentino tem oscilado nas oportunidades que recebe e ainda precisa provar que poderá entrar com mais frequência na equipe de cima.

Contra o Goiás, todos os reservas disputam posição. O rendimento deles poderá significar outro olhar de Odair Hellmann quando precisar mudar o time titular, como tem acontecido ao longo da temporada.