PUBLICIDADE
Topo

Justiça bloqueia R$ 15 mi de parcela de Rodrygo por dívida de antiga gestão

José Carlos Peres, presidente do Santos, em entrevista coletiva - Ivan Storti/Santos FC
José Carlos Peres, presidente do Santos, em entrevista coletiva Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

02/08/2019 16h38

A Justiça bloqueou R$ 15 milhões do dinheiro da segunda parcela, de 20 milhões de euros (R$ 86 milhões), que o Santos recebeu do Real Madrid (ESP) pela venda do atacante Rodrygo, a pedido da empresa Bonassa Bucker Advogados.

A empresa cobra o valor referente a serviços prestados ao Santos durante a gestão do presidente Modesto Roma Jr, antecessor do atual mandatário José Carlos Peres. O processo corre desde o início do ano passado e já contou com outras contas bloqueadas e posteriormente desbloqueadas.

O Departamento Jurídico do Santos tenta substituir o dinheiro da parcela bloqueado pela justiça como garantia por bens materiais, pois acredita que tal bloqueou atrapalha o clube. Foi devido a bloqueios desse tipo que o Peixe chegou a atrasar salários neste ano.

No entanto, mesmo que fique com o fluxo de caixa prejudicado, a diretoria santista não vê chances de um novo atraso salarial neste mês. O quinto útil de agosto será no dia 7, três dias antes do clássico contra o São Paulo.

Santos