PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Carille avalia "novo ataque" do Corinthians e revela o que espera do trio

Técnico Fábio Carille comanda o Corinthians em jogo contra o Fortaleza pelo Brasileirão -  Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Técnico Fábio Carille comanda o Corinthians em jogo contra o Fortaleza pelo Brasileirão Imagem: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

29/07/2019 16h38

O Corinthians venceu o Fortaleza por 3 a 1, de virada, ontem, no Castelão, com um "novo ataque". O técnico Fábio Carille decidiu poupar alguns jogadores visando o duelo contra o Montevideo Wanderers (URU) nesta quinta-feira pela Sul-Americana e, por isso, escalou Everaldo e Mauro Boselli, reservas do time, ao lado de Pedrinho, no ataque alvinegro.

Carille fez uma avaliação do trio, que foi decisivo na vitória do time de Parque São Jorge. Boselli marcou o gol de empate, enquanto Pedrinho anotou o gol da virada. Danilo Avelar fechou o placar. Everaldo não balançou as redes, mas deu bastante trabalho a defesa do Fortaleza atuando do lado esquerdo do ataque.

Carille não bancou nenhum deles como titular, mas explicou a situação de cada um e até o que espera deles para a sequência da temporada.

Em relação a Everaldo, o treinador disse que foi surpreendido pelo rendimento dele em Fortaleza pois o ex-atacante do Fluminense ficou de fora da intertemporada por conta de uma lesão no púbis.

"Everaldo foi acima do esperado. Muito tempo sem jogar, com dor no púbis que incomodou bastante, foi a minha maior tristeza na preparação de não poder testar ele com Clayson", afirmou Carille.

Sobre Boselli, o técnico corintiano disse que o argentino é o centroavante mais técnico do elenco (ele ainda conta com Vagner Love e Gustagol), mas alega que a falta de criação do time no primeiro semestre prejudicou o seu futebol.

"Boselli é diferente de Love e de Gustavo, eles brigam mais e o argentino é mais técnico, fica na área, mas a bola precisa chegar para ele. A partir do momento que o nosso time não estava criando não era um jogo para ele, porque ele não é de briga. Agora sim a bola está chegando na frente, e com isso qualquer nove que jogar vai ter mais oportunidades", disse.

No caso de Pedrinho, Carille o considera um jogador diferenciado, mas disse que o "prata da casa" precisa ser mais regular em relação a sua participação durante os jogos. Para ele, Pedrinho "some" em campo em vez de assumir o protagonismo da armação de jogadas do time.

"Pedrinho está comigo há dois anos e meio, sei da qualidade, do potencial, faz coisas diferentes e precisa assumir. Muitas vezes ele faz uma jogada e some do jogo, mas a bola precisa passar pelo pé dele, porque ele tem qualidade para fazer o time andar porque é diferente", concluiu.

Futebol