PUBLICIDADE
Topo

Futebol


São Bento diz que Régis abandonou reabilitação e promete providências

Lateral-direito Régis vinha atuando como titular do São Bento na Série B do Campeonato Brasileiro - Divulgação/EC São Bento
Lateral-direito Régis vinha atuando como titular do São Bento na Série B do Campeonato Brasileiro Imagem: Divulgação/EC São Bento

Do UOL, em São Paulo

15/07/2019 10h22

O São Bento anunciou hoje de manhã que o lateral-direito Régis abandonou "por vontade própria" o tratamento clínico contra dependência química iniciado sob supervisão do clube em março. O jogador de 30 anos, de passagem recente pelo São Paulo, "deixou a casa de recuperação", "não compareceu aos treinos de domingo e segunda e por esse motivo não foi relacionado para a partida desta terça-feira", informa o clube da cidade de Sorocaba, que joga amanhã, contra o Coritiba, pela décima rodada da Série B do Brasileirão.

"A diretoria do clube deve se reunir com o atleta e tomará as devidas providências", conclui a nota oficial do São Bento.

Régis vinha atuando como titular do clube do interior paulista na Série B e até fez um gol na vitória por 3 a 1 diante do Vitória, fora de casa, ainda antes da pausa para a realização da Copa América. Ele defende o São Bento desde fevereiro, quando buscou refúgio no time em que se destacou após ter passagens abreviadas em clubes como São Paulo e CSA em razão de problemas pessoais. Após assinar o contrato atual, que vigora até dezembro, o jogador revelou seu problema com drogas.

Duas semanas depois, novamente, Régis foi detido em Sorocaba por porte de drogas. Ele tinha três porções do que a Polícia acreditava ser cocaína e precisou ser algemado por resistir à detenção. O São Bento, então, prometeu ajudar no tratamento clínico com internação e reinserção ao futebol. O jogador se mostrou receptivo e aceitou a ajuda oferecida pelo clube. Ele voltou a atuar profissionalmente em 26 de abril.

Régis teve projeção no Campeonato Paulista de 2018, pelo próprio São Bento, e foi contratado pelo São Paulo em seguida. Porém, ele teve o contrato rescindido em outubro daquele ano sob alegação de problemas pessoais. Ele assinou com o CSA, que disputaria a elite do Brasileirão em 2019, mas também encerrou contrato em fevereiro após ser detido por uma discussão em um motel em Maceió.

Futebol