PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cebolinha é eleito melhor da final, vira artilheiro e enlouquece Galvão

Do UOL, em São Paulo

07/07/2019 18h57

Classificação e Jogos

Everton Cebolinha se consolidou como um dos grandes destaques da seleção brasileira campeã da Copa América. O atacante de 23 anos abriu o placar na vitória por 3 a 1 do Brasil na final contra o Peru, no Maracanã, foi eleito o melhor do jogo e ainda terminou a competição como artilheiro.

O jogador do Grêmio balançou as redes três vezes no torneio, mesmo número do peruano Paolo Guerrero. O brasileiro levou a melhor por conta do segundo critério de desempate (menor número de minutos jogados): ambos tiveram uma assistência no torneio (primeiro critério), mas Cebolinha atuou por menos tempo - 342 minutos, contra 505 do peruano.

No fim da partida de hoje, ele ainda sofreu o pênalti convertido por Richarlison, que sacramentou o triunfo brasileiro no Maracanã.

Everton celebrou o feito. "Fui artilheiro, torci para ele (Guerrero) perder o pênalti ali. Mas não foi nem brigando pelo artilheiro não, [foi] mais pelo jogo mesmo. Por ter feito três gols da competição, (quero) agradecer meus companheiros que me deram assistências e contribuíram para que isso tenha acontecido", disse à TV Globo.

"No último jogo fiquei um pouco meio apagado, fiquei chateado com a minha atuação. Botei na cabeça que tinha que fazer o melhor e tinha de me entregar independentemente do gol, mas tinha que dar sangue, suar, correr com meus companheiros. Hoje fui diferente. Fui feliz, acabei sofrendo pênalti no final. E quero parabenizar toda a nossa equipe por essa grande partida", afirmou.

Ao final da partida, Everton subiu ao palco duas vezes durante a premiação como prova do bom desempenho. Primeiramente, levantou o troféu de "homem do jogo". Em seguida, recebeu a Chuteira de Ouro pela artilharia do torneio

Cabe ressaltar: em nenhuma das 13 mais recentes edições da Copa América o artilheiro teve número tão baixo de gols marcados como agora em 2019. A última vez em que o torneio registrou seu goleador máximo com apenas três tentos foi em 1983, quando empataram na artilharia o brasileiro Roberto Dinamite, o argentino Jorge Burruchaga e o uruguaio Carlos Alberto Aguilera.

Galvão Bueno enlouquece em transmissão

A atuação de Everton levou Galvão Bueno à loucura durante a transmissão da TV Globo. O narrador deu gritos e fez comentários eufóricos sobre o jogador. "Everton Cebolinha é o nome dele! Ele é o cara! Nesse momento chega ao terceiro gol dele, assume a artilharia", exclamou Galvão no momento do tento. "A finalização do Cebolinha... Não quis nem saber, amigo! Deu um tapa e saiu para o abraço, não deu chance para o goleiro Gallese. O Paolo Guerrero se desespera (...) Everton Cebolinha é o primeiro a chegar a três gols", completou, se referindo à disputa entre os atacantes brasileiro e peruano pelo posto de goleador máximo da Copa América.

Por diversas vezes "íntimo" de Everton o chamando de Cebola durante a transmissão, Galvão emplacou as seguintes frases depois do gol do camisa 19: "já deixou de ser Everton Cebolinha para ser Cebola", "o Everton Cebolinha é o cara, é ele que faz as coisas acontecerem" e "o Advíncula (lateral-direito do Peru) já não sabe mais o que fazer com o Everton".

Nas redes sociais, os torcedores não deixaram escapar o carinho de Galvão por Everton. Entre comentários e memes, diversos internautas inclusive brincaram sobre um "divórcio" do narrador com Neymar, bastante elogiado pelo narrador em ocasiões passadas e ausente da Copa América por lesão no tornozelo.

Esporte