Topo

Futebol


Com ações chamativas, Japão se despede como xodó do Brasil na Copa América

Japão se despediu da Copa América com empate em 1 a 1 diante do Equador - REUTERS/Edgard Garrido
Japão se despediu da Copa América com empate em 1 a 1 diante do Equador Imagem: REUTERS/Edgard Garrido

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

25/06/2019 08h12

Um show de carisma. A torcida, a seleção e até a imprensa do Japão conquistaram fãs por onde passaram no Brasil. Com o país convidado para disputar a Copa América 2019, os japoneses ganharam notoriedade pela educação e atos de civilidade. Lixos recolhidos em estádios, retribuição do carinho do público e organização extrema nos bastidores: tudo isso marcou o adeus do time nipônico ao torneio.

O empate por 1 a 1 com a seleção do Equador no Mineirão selou a despedida da equipe nacional de solos brasileiros. O UOL Esporte acompanhou os passos dos japoneses no jogo ocorrido no Gigante da Pampulha.

Carinho durante o jogo

O Japão era claramente o time preferido do público que compareceu ao Mineirão na noite de ontem. Os brasileiros que foram ao estádio claramente adotaram a equipe comandada por Hajime Moriyasu. Os espectadores foram à loucura quando Nakajima abriu o placar. Os lances de perigo da equipe asiática também culminaram em gritos de empolgação. A maioria dos 9.729 espectadores do jogo demonstrou bastante apreço pelo time japonês.

Rotina de recolher lixos

Com sacos plásticos, a torcida do Japão que compareceu ao Mineirão demorou um pouco a deixar as cadeiras do local. Vigiados por seguranças particulares do estádio, os asiáticos recolheram o lixo que deixariam no Gigante da Pampulha. A situação foi vista com frequência nos jogos do time japonês. No maior estádio de Belo Horizonte, a torcida voltou a recolher lixos, assim como fez no Morumbi e na Arena do Grêmio.

Saudações à torcida

Orientado pelo técnico Hajime Moriyasu, o Japão adotou uma postura de retribuir todo o carinho recebido nos estádios. O elenco se reuniu ao fim da partida para saudar o público que compareceu ao empate contra com o Equador. Eles praticamente deram uma volta ao redor do gramado para agradecer à torcida presente.

Organização na imprensa

A imprensa japonesa viajou em peso ao Brasil. Com dezenas de repórteres no país, emularam o que era feito por equipe e torcedores nas arquibancadas. Na zona mista do Mineirão, por exemplo, se organizaram e deixaram pertences todos em um mesmo local para ceder mais espaço aos repórteres de outros países. O mesmo aconteceu na sala de coletiva do Mineirão. A equipe do UOL Esporte presenciou ambas as cenas, mas é proibido fotografar nos locais citados.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Futebol