PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira


Seleção exorciza fantasma de vaias e faz as pazes com torcida em SP

Bruno Grossi, Danilo Lavieri, Marcel Rizzo e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

22/06/2019 17h55

Classificação e Jogos

Depois de vaias nas duas primeiras partidas da Copa América, diante da Bolívia, em São Paulo, e da Venezuela, em Salvador, a seleção brasileira chegou cautelosa para o confronto de hoje, contra o Peru, na Arena Corinthians. Com um gol cedo na primeira etapa, dribles, jogadas ofensivas e uma vitória por 5 a 0, os comandados de Tite foram muito aplaudidos e fizeram as pazes com as mais de 44 mil pessoas nas arquibancadas.

"Tenho (preocupação com as vaias) sim, porque o atleta não é insensível. Temos que saber trabalhar em cima dessa adversidade. Durante o segundo tempo eu falava "continua tocando, procurando a melhor opção". É a nossa forma de jogar, não adianta fazer de outro jeito. É o modelo da equipe, característica dos atletas. Equipe é impetuosa, tem que saber trabalhar em cima dessas pressões, é o nosso desafio também", tinha dito Tite, logo após o 0 a 0 com os venezuelanos.

O gol cedo em Itaquera - Casemiro abriu o placar com apenas 11 minutos, pegando o próprio rebote - abriu caminho para uma atuação que fizesse jus ao ímpeto citado por Tite. Criando muitas jogadas ofensivas, o Brasil martelou e goleou os peruanos.

Das arquibancadas, apoio incondicional e festa durante os 90 minutos. Everton, que ganhou a posição de David Neres, virou xodó dos torcedores, mesmo longe de Porto Alegre, onde costuma brilhar pelo Grêmio. Os gritos de "é, cebolinha" apareceram em vários momentos - o atacante marcou um golaço, limpando o marcador e acertando um chute forte de fora da área.

Velhos conhecidos dos brasileiros, Cueva e Guerrero acabaram pagando o preço pela reconciliação da seleção com sua torcida. Os dois receberam vaias durante o jogo, com o centroavante recebendo uma enxurrada ao ser substituído na segunda etapa.

Com passagens por Corinthians e Flamengo, e atualmente no Internacional, o camisa 9 peruano foi alvo de uma variação da música "mil gols", originalmente cantada para exaltar Pelé e atacar Diego Maradona. "Mil gols, só Pelé, Guerrero cheirador", cantaram os brasileiros, em referência à suspensão do atacante no ano passado por doping.

Com a goleada, o Brasil garante a classificação em primeiro lugar do grupo A, na Copa América. Agora, segue para Porto Alegre, onde jogará as quartas de final na quinta-feira, na Arena Grêmio, diante de um terceiro colocado do grupo B ou do grupo C.

Torcedores protestam contra preço de ingressos nos minutos finais

Na marca dos 45 minutos do segundo tempo, um grupo pequeno de torcedores atrás do gol de Alisson levantou uma faixa de protesto contra o preço dos ingressos. "Ingresso facada, estádio velório" dizia a bandeira, que foi acompanhada de sinalizadores. Fiscais da Conmebol agiram rapidamente pela retirada.

Seleção Brasileira