Topo

Esporte


Com doença degenerativa, ex-jogador anuncia 'última noite' aos 42 anos

Fernando Ricksen tornou público o diagnóstico de ELA em 2013; desde então, passou a ter problemas para andar, falar e respirar - VI Images via Getty Images
Fernando Ricksen tornou público o diagnóstico de ELA em 2013; desde então, passou a ter problemas para andar, falar e respirar Imagem: VI Images via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

11/06/2019 04h00

O meio-campista holandês Fernando Ricksen fez relativo sucesso atuando por equipes como Glasgow Rangers e Zenit St. Petersburg ao longo da carreira. Hoje, aos 42 anos e já aposentado dos gramados, ele se prepara para uma "última noite", como descreveu.

Ricksen sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa que ataca o sistema nervoso. A morte de neurônios motores provoca rigidez dos músculos, espasmos e fraqueza, o que leva a problemas de locomoção, fala, deglutição e respiração. Não há cura conhecida.

Aposentado dos gramados no fim da temporada 2012/2013, após três anos a serviço do Fortuna Sittard (clube pelo qual foi revelado), Ricksen anunciou o diagnóstico da doença em outubro do mesmo ano. No ano seguinte, casou-se com a russa Veronika.

Ex-jogador de clubes como AZ, Rangers e Zenit St. Petersburg, Fernando Ricksen defendeu a seleção da Holanda entre 2000 e 2003 - Christof Koepsel/Bongarts/Getty Images
Ex-jogador de clubes como AZ, Rangers e Zenit St. Petersburg, Fernando Ricksen defendeu a seleção da Holanda entre 2000 e 2003
Imagem: Christof Koepsel/Bongarts/Getty Images
Em 2015, o avanço do problema foi registrado pelo documentário Fernando Ricksen: Hard Times (ou, em tradução livre, Fernando Ricksen: tempos difíceis), exibido pelo canal de TV britânico Sky Sports. O holandês, então com 38 anos, tentava demonstrar otimismo com o quadro.

"Eu não posso ficar sentado e dizer: por que eu?", declarou o holandês, dizendo-se "feliz e vivendo". "Em minha cabeça, eu jogo todos os dias, mas meu corpo não quer mais isso. Você precisa dar ouvidos a seu corpo, mas acho que todo mundo que me conhece sabia que eu não escutava", acrescentou.

O documentário retrata diversos problemas extracampo que Fernando Ricksen protagonizou ao longo da carreira, especialmente em relação ao consumo de bebidas alcoólicas. Entre 2000 e 2005, o holandês foi multado pelo menos duas vezes por episódios resultantes de excessos.

No entanto, como esperado, a doença se agravou. Por isso, no fim de semana, Ricksen comunicou a informação de que está perto de sua última aparição pública. No Twitter, a conta @broxi63 divulgou um vídeo, no qual o holandês faz um aviso aos fãs. Com poucos movimentos e sem conseguir falar, o ex-jogador usa um programa de computador para emular sua voz.

"Olá. Terei uma noite especial no dia 28 (de junho). Uma vez que as coisas estão ficando muito difíceis para mim, esta será minha última noite. Venha e faça desta uma noite inesquecível. Espero vê-los logo", comunicou.

Siga o UOL Esporte no

A conta na qual o vídeo foi publicado divulgou ainda o evento citado pelo holandês: um jantar, com apresentações musicais e show de humor, com convites a 70 libras cada (pouco mais de R$ 345 em valores atuais).

Ao longo da carreira, Fernando Ricksen atuou por Fortuna Sittard (1994 a 1997 e 2010 a 2013), AZ Alkmaar (1997 a 2000), Rangers (2000 a 2006) e Zenit St. Petersburg (2006 a 2009), defendendo ainda a seleção holandesa em 12 ocasiões entre 2000 e 2003. Em 2008, foi campeão da Copa da Uefa como reserva do Zenit, que venceu justamente o Rangers na final. Entre outros títulos, o ex-meio-campista ainda conquistou duas vezes o Campeonato Escocês (2002/2003 e 2004/2005) e uma vez o Russo (2008).

Mais Esporte