PUBLICIDADE
Topo

Santos fecha contratação do volante Jobson por quatro temporadas

Jobson, durante partida entre Red Bull e Palmeiras - Marcello Zambrana/AGIF
Jobson, durante partida entre Red Bull e Palmeiras Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Eder Traskini e Thiago Fernandes

Do UOL, em Santos

01/04/2019 13h34

O Santos fechou, na manhã de hoje, um contrato de quatro temporadas com Jobson, destaque do Red Bull Brasil na disputa do Campeonato Paulista 2019. Em uma reunião entre a diretoria santista e o estafe do volante, liderado pelo empresário Robson Ferreira, as partes chegaram a um acordo.

O meio-campista de 23 anos já foi liberado pelo Red Bull para fazer exames médicos e ajustar os últimos detalhes da mudança para a Vila Belmiro. O jogador se submeterá às avaliações clínicas amanhã.

O Peixe terá que desembolsar um montante para tirar Jobson do clube de Campinas. Os valores, no entanto, são tratados com sigilo pelas partes, mas a tendência é que o Santos comece a pagar o valor após o meio do ano, quando cai a segunda parcela da venda do atacante Rodrygo ao Real Madrid (ESP).

Durante o Campeonato Paulista, o agente Robson Ferreira foi procurado também pelo Atlético-MG. Os mineiros adiantaram as tratativas com Thiago Scuro, CEO do Red Bull Brasil. A negociação, porém, não avançou por escolha do próprio atleta, que deu prioridade para trabalhar ao lado de Jorge Sampaoli na Vila Belmiro.

No último final de semana, um clube de São Paulo chegou a procurar o empresário de Jobson para tentar atravessar a negociação, mas ouviu como resposta que o estafe do jogador daria prioridade ao Peixe. Como o UOL Esporte antecipou, o Santos já monitorava o jogador desde o início do estadual.

Jobson foi um dos principais destaques do Campeonato Paulista, comandando o meio-campo do Red Bull Brasil que terminou a primeira fase do estadual com a melhor campanha. Ele foi até escolhido para a seleção da primeira fase em site especializado em estatísticas.

O futebol de Jobson despertou o interesse não somente dos clubes do Brasil, mas também de dois gigantes portugueses: o Porto e o Benfica, que chegaram a enviar scouts para acompanhar o atleta in loco.

Siga o UOL Esporte no