PUBLICIDADE
Topo

Futebol

R10 evita holofotes e faz festa interna com família e amigas em camarote

Ronaldinho Gaúcho (d) curte Carnaval com amigo em lado interno de seu camarote na Marques de Sapucaí - Ag. News
Ronaldinho Gaúcho (d) curte Carnaval com amigo em lado interno de seu camarote na Marques de Sapucaí
Imagem: Ag. News

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/03/2019 04h00

Sinônimo de festa e badalação, Ronaldinho Gaúcho marcou presença nos desfiles das escolas de semana do Rio de Janeiro e teve até seu camarote particular na folia, o "R10 Samba Dreams". A passagem do craque pela Marquês de Sapucaí, no entanto, esteve longe do destaque dos outros anos.

Ronaldinho Gaúcho tocando pagode no camarote - Divulgação - Divulgação
Ronaldinho passou parte do tempo tocando percussão no palco de seu camarote
Imagem: Divulgação

Enquanto Neymar beijava Anitta e via Bruna Marquezine no mesmo ambiente, o Gaúcho evitou maiores holofotes e apostou em uma curtição mais reservada. Sem maiores aparições na "varanda" de seu camarote, Ronaldinho priorizou momentos ao lado de amigos, amigas e da mãe, Dona Miguelina, no interior do espaço.

Quase sempre com um copo na mão, o astro recebia os amigos naquilo que os mais próximos chamavam de um "ambiente mais familiar". Contando até com a presença de crianças, a farra de Ronaldinho se mostrou diferente de outros anos em que chegou a viver uma verdadeira maratona na Sapucaí.

Em 2011, seu primeiro ano atuando por equipe do Rio de Janeiro, o então jogador do Flamengo se dividiu entre os treinamentos do Ninho do Urubu, blocos nas ruas da cidade e desfiles na pista da Sapucaí. Em 2017, nova maratona: o Gaúcho cruzou a Avenida com Mangueira, Portela e Mocidade Independente de Padre Miguel.

"Sala reservada" no camarote

Em 2019, não era tão fácil avistar o famoso rosto no local. Em dados momentos, nem os convidados do camarote o encontravam. Explica-se: Ronaldinho passava parte do tempo em uma "sala" reservada com amigas mais próximas.

Ronaldinho Gaúcho e bateria da União da Ilha em camarote - Divulgação - Divulgação
Ronaldinho (de costas) assiste amigos da bateria da União da Ilha em recuo da Sapucaí
Imagem: Divulgação

Quando não estava na área restrita, o agora pagodeiro mostrava seus dotes no palco armado dentro do camarote. Explorando seu lado percussionista, tocava tam tam com um grupo de pagode.

As rápidas aparições ocorriam no segundo recuo de bateria, localizado ao lado do camarote de Ronaldinho. Ele desceu para acompanhar de perto o grupo da União da Ilha, comandado pelos mestres Keko e Marcelo, seus amigos pessoais e parceiros de pagode.

Protagonista dentro de seu espaço, Ronaldinho teve destaque reduzido em publicações e colunas sociais durante os dias de desfiles. E a ideia era exatamente essa. Segundo os amigos ouvidos, o dono do pedaço também queria deixar os convidados à vontade, sem tantos cliques e tumulto.

Para 2020, a tática será repetida. Muito pagode, muitas amigas e copo cheio. E sem tanto holofote. Ronaldinho quer repetir a discrição do que chamou de "clima família" em seu camarote.

Assis e Dona Miguelina em camarote de Ronaldinho Gaúcho na Sapucaí - Divulgação - Divulgação
Assis (e), irmão de Ronaldinho, e Dona Miguelina, mãe do craque, prestigiaram o camarote durante três noites
Imagem: Divulgação

Futebol