PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Atlético-MG diz que usará grana de venda de Emerson em dívidas na Fifa

Atlético-MG ainda não quitou compra do lateral esquerdo Douglas Santos com a Udinese - Bruno Cantini/Atlético-MG/Divulgação
Atlético-MG ainda não quitou compra do lateral esquerdo Douglas Santos com a Udinese Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG/Divulgação

Do UOL, em Belo Horizonte

19/02/2019 16h18

O Atlético-MG quer acabar com as dívidas que possui na Fifa, ou ao menos amortizá-las. O plano do presidente Sérgio Sette Câmara é utilizar a grana que será arrecadada com a venda de Emerson ao Barcelona para quitar débitos contraídos com clubes do exterior.

Receoso com as sanções aplicadas pela entidade que rege o futebol, o mandatário quer usar boa parte dos 7,6 milhões de euros (R$ 31,97 mi) que o Galo tem direito para regularizar a situação financeira.

"Esse dinheiro será utilizado para que a gente possa baixar nosso endividamento na Fifa, algo que nos preocupa, pois há possibilidade de sofrer punição técnica. Temos questões importants que passaram do prazo pra ser negociado, como a situação com o Al Gharafa pelo Tardelli em 2013, outra dívida elevada com a Udinese sobre Douglas Santos e Maicosuel. Procuramos a Udinese para fazer alguma negociação envolvendo valor ou algum jogador, também. Mas a ideia é que o endividamento se torne ínfimo até o fim do ano", disse à Rádio Itatiaia.

Hoje, o Galo tem dívidas referentes às compras de Diego Tarelli do Al-Gharafa, em 2013, Maicosuel da Udinese, em 2014, e Douglas Santos, do mesmo time italiano, em 2015. Só o débito pela aquisição de Tardelli, hoje no Grêmio, está avaliado em 2,5 milhões de euros (R$ 10,5 milhões na cotação atual).

O Barcelona pagará 12,17 milhões de euros (R$ 51,18 mi) para tirar Emerson do Atlético. Os mineiros, donos de 62,5% do atleta, terão direito a 7,6 milhões (R$ 31,97 milhões) da negociação. O valor ainda não entrou na conta do Atlético, e o clube não revela a data exata para o depósito.

"O dinheiro ainda não entrou, e eu, por uma questão de confidencialidade, nem posso revelar como é que vai entrar. Mas as cifras foram reveladas, fizemos questão de ser super transparentes em relação a isso. Todo atleta que é negociado pelo clube, a gente faz uma ata para deixar a coisa devidamente registrada dentro do clube para gestões futuras e para que o próprio conselho fiscal e o conselho deliberativo tomem conhecimento. Então, para as pessoas que efetivamente precisamos dar satisfação, a gente tem prestado contas", conclui Sette Câmara.

Atlético-MG