PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras programa rodízio mais leve a partir de clássico contra o Santos

Jogadores do Palmeiras comemoram gol do time sobre o Bragantino - Ale Cabral/AGIF
Jogadores do Palmeiras comemoram gol do time sobre o Bragantino Imagem: Ale Cabral/AGIF

Danilo Lavieri e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

13/02/2019 04h00

Depois de rodadas com um rodízio que alterava praticamente todo o time, o Palmeiras passará a fazer mudanças mais pontuais. O planejamento da comissão técnica aponta para o jogo do Santos, marcado para o dia 23 de fevereiro, como o primeiro a fazer parte da transição.

No próximo compromisso do time, contra a Ferroviária, Luiz Felipe Scolari deve voltar a trocar pelo menos sete jogadores em relação ao time que venceu o Bragantino na última segunda-feira. Dudu e Borja devem ser dois dos poucos que seguirão entre os titulares.

Neste início de ano, Felipão fez o máximo de trocas possíveis para observar os jogadores em diferentes situações. Todos os reforços inscritos no Estadual tiveram chances como titulares, e até mesmo todos os goleiros foram testados. Isso sem contar os jogos-treino disputados na Academia de Futebol.

Fevereiro também é considerado ideal no clube para a transição por conta de um calendário mais tranquilo. Em janeiro, o Palmeiras disputou quatro jogos em dez dias. Neste mês, o time joga cinco partidas, mas divididas em 28 dias.

Mesmo com o rodízio, o Alviverde ainda enfrenta um problema com o elenco lotado. São 33 jogadores, e apenas 26 podem ser inscritos. Em sua última coletiva de imprensa, inclusive, o treinador disse que vive se justificando para seus jogadores por conta deste problema.

Vale lembrar que na Libertadores, próxima competição a ser disputada pelo Palmeiras, o limite de atletas inscritos é de 30.

"Estou sempre pedindo desculpa para os que não posso inscrever. Para a equipe que disputa 80 jogos por ano, Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores, Paulista... É difícil. Sempre peço desculpas para os jogadores e vai ter que ser assim. Ainda tem uma vaga, vamos ver o que vou fazer", analisou o técnico.

Siga o UOL Esporte no

Palmeiras