PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Entenda o que falta para Atlético-MG iniciar obras de novo estádio

Projeção de como vai ficar o estádio do Atlético-MG - Reprodução
Projeção de como vai ficar o estádio do Atlético-MG Imagem: Reprodução

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

23/01/2019 04h00

O Atlético-MG programa o início das obras da Arena MRV para 2019. É possível que os primeiros passos sejam dados em março. Porém, para que isso aconteça, o clube necessita de licenças ambientais. A expectativa nos bastidores do Galo é que tudo seja solucionado em 180 dias.

O UOL Esporte apurou que o Atlético tenta a obtenção de três licenças para iniciar a construção do estádio: Licença Prévia (LP), Licença de Instalação (LI) e Licença de Operação (LO). Os processos são feitos na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

A primeira ideia da diretoria é obter a Licença Prévia (LP), que seria concedida em até três meses. Esta liberação permite a limpeza do terreno onde será construído o estádio, a instalação de tapumes e o escritório de obras.

A comissão responsável pelo assunto no Conselho Deliberativo do Galo espera conseguir a Licença de Instalação (LI), aquela que autoriza a instalação do empreendimento ou da atividade, em até cinco meses. No mesmo período, eles querem obter a autorização para realizar a terraplanagem, processo que dura cerca de quatro meses.

Por fim, os mineiros desejam a obtenção da Licença de Operação (LO) para iniciarem a obra de forma plena. Isso significa que, com esta autorização, o clube estaria livre para seguir a construção do estádio sem depender de novos trâmites burocráticos. O Atlético espera contar com a liberação em até seis meses.

O otimismo nos bastidores do Galo se dá porque a cúpula crê que já superou a parte mais difícil do processo de legalização da Arena MRV. Os membros do conselho acreditam que a transformação do local em projeto de relevância social era o ponto crucial para o início das obras.

O clube promoverá a instalação de um projeto para crianças da região do bairro Califórnia. A ideia é que a organização funcione desde a abertura do estádio.

Futebol