PUBLICIDADE
Topo

Futebol

D'Alessandro faz campanha por Taison no Inter: "Vontade dele é voltar"

D"Alessandro quer voltar a jogar com Taison, hoje no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia - REUTERS/Andrew Yates
D'Alessandro quer voltar a jogar com Taison, hoje no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia Imagem: REUTERS/Andrew Yates

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

16/12/2018 19h49

D'Alessandro quer voltar a jogar com Taison. Amigo pessoal do atacante do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, que disputou a última Copa do Mundo pela seleção brasileira, o gringo abriu campanha para o regresso dele ao Inter

"Não tenho mais muitos anos de carreira, e gostaria de jogar com Taison novamente. Eu falei isso para ele. É difícil, sei que é complicado, mas se eu puder fazer alguma coisa, alguma coisa eu vou fazer. Não sei o que, de repente encher o ouvido do presidente... Eu sei que não é fácil, tem muitos fatores que complicam, mas eu sei que a vontade dele é voltar. Ele está longe da família, ele sente saudade do clube, o que eu puder fazer, vou fazer", disse após o Lance de Craque, amistoso beneficente promovido por ele no Beira-Rio. 

Taison, de 30 anos, foi colega de D'Ale no Internacional entre 2008 e 2010, quando subiu das categorias de base e se firmou na equipe vermelha. Depois foi vendido ao Metalist, da Ucrânia e hoje é titular e capitão do Shakhtar Donetsk. 

Em campo, o rápido atacante fez um golaço no amistoso. Mas ainda no gramado tratou de esfriar as chances do Colorado em investir nele. 

"Todo ano que venho aqui se fala que posso voltar, às vezes parece que eu sou culpado por não vir. Mas meu clube é muito difícil de deixar eu voltar", disse. 

A realidade é Luiz Adriano. Também formado no Inter, o atacante do Spartak Moscou adotou tom pessimista e disse que hoje a chance de retorno é zero. 

"O Luiz Adriano faz sucesso na Europa e tenho certeza que um dia voltará. São atletas com história no nosso clube. Tomara que eles possam voltar", finalizou D'Ale.

O Inter admite o desejo de reforçar o time, mas esbarra em dificuldades financeiras. Sem o melhor poder econômico, o time gaúcho aposta em criatividade para se reforçar. Até agora, não anunciou nenhum nome. 

Futebol