PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Juiz do comitê de ética da Fifa é preso por corrupção na Malásia

Recentemente, Infantino teve seu nome vinculado ao Football Leaks por "proteger" City e PSG - Dan Mullan/Getty Images
Recentemente, Infantino teve seu nome vinculado ao Football Leaks por 'proteger' City e PSG Imagem: Dan Mullan/Getty Images

Do UOL, São Paulo (SP)

21/11/2018 14h05

O juiz do comitê de ética da Fifa Sundra Rajoo foi preso nesta quarta-feira (21), na Malásia, por suspeita de corrupção. O malaio, que também fazia parte do Centro de Arbitragem Internacional, renunciou ao cargo nesta instituição.

O advogado de Rajoo, Cheow Wee, disse à Associated Press que seu cliente foi detido pela Comissão Malasiana Anti-Corrupção (MACC) após retornar de Zurique, na Suíça, onde esteve para reuniões de negócios pela Fifa.

Wee afirmou que seu cliente foi solto no mesmo dia e que responderá ao processo em liberdade.

"O juiz concordou com a nossa posição de que ele [Rajoo] tem imunidade e privilégios diplomáticos. Ele não pode ser preso nem detido e não está sujeito à nossa jurisdição criminal".

O advogado ressaltou que a MACC solicitou a prisão de Rajoo para proteger e continuar sua investigação sobre alegações de que o juiz de ética aceitou e usou seu escritório para favores financeiros.

No ano passado, o malaio foi indicado como um dos vice-presidentes da câmara adjudicatória do comitê de ética da Fifa.

Desde que Rajoo se juntou à Fifa, o seu comitê foi um dos responsáveis por sentenciar diversos dirigentes ligados à corrupção, entre eles o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Marco Polo Del Nero.

Rajoo foi indicado ao cargo pela Confederação Asiática de Futebol e fez parte da mudança que ocorreu no órgão que rege o futebol após o escândalo de corrupção envolvendo dirigentes.

Futebol