PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Crise financeira abala Fluminense em momento decisivo da temporada

Marcos Jr foi o responsável por iniciar as cobranças do elenco ao diretor Paulo Angioni - Lucas Merçon
Marcos Jr foi o responsável por iniciar as cobranças do elenco ao diretor Paulo Angioni Imagem: Lucas Merçon

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/11/2018 04h00

O Fluminense convive com problemas financeiros na temporada, mas vive um momento delicado justamente antes dos jogos mais importantes de 2019. A cobrança dos jogadores ao diretor Paulo Angioni, revelada pelo UOL Esporte, mostrou um grupo incomodado com a necessidade de obter resultados e, ao mesmo tempo, não receber os salários.

O desgaste é principalmente por conta de alguns prazos dados e não cumpridos pelos dirigentes. São quatro meses de direitos de imagem e dois na carteira de trabalho em atrasos. A cúpula tricolor se esforça para quitar ao menos uma parte até a próxima semana.

O objetivo é evitar que o desconforto aumente justamente quando o Fluminense luta para confirmar a sua permanência na elite do futebol brasileiro e ainda busca uma vaga na decisão da Copa Sul-Americana.

Por isso, os jogos contra Ceará (Campeonato Brasileiro) e Atlético-PR (semifinal da Sul-Americana) são tão importantes, já que podem resolver alguns problemas nas Laranjeiras. O certo é que, mesmo com todo esforço da diretoria, será preciso fazer ainda mais para zerar as pendências com o elenco. A luta, mais do que nunca, é contra o tempo.

Uma possibilidade para amenizar a questão financeira envolve 10% da diferença entre o valor pago pelo Watford e o vendido ao Everton pelo atacante Richarlison.

"Eu acredito que ainda não recebemos todo o valor, mas não posso afirmar. Mas só esse dinheiro não é suficiente para fechar o ano zerado. A ansiedade é normal, a cobrança é legítima", explicou o diretor Paulo Angioni.

Futebol