PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Agente falso se dizia sócio de Ferdinand e visava dupla Gre-Nal

Estudante de direito usou nome de ex-zagueiro inglês para tentar impressionar no mercado - REUTERS/David Klein
Estudante de direito usou nome de ex-zagueiro inglês para tentar impressionar no mercado Imagem: REUTERS/David Klein

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

19/10/2018 04h00

O homem que tentou negociar Luan com o Everton, da Inglaterra, e Leandro Damião com o Al Wehda, da Arábia Saudita, não parou por aí. O UOL Esporte ouviu pessoas ligadas ao mercado da bola e escutou que para ganhar confiança de representantes, o investigado pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul chegou a se apresentar como sócio de Rio Ferdinand, ex-zagueiro da seleção da Inglaterra, e forjou conversas no WhatsApp.

Aos 33 anos, o estudante de direito que não teve identidade revelada pela polícia deverá responder a inquérito por estelionato.

Residente de Porto Alegre, o homem buscou possibilidade de negócios com jogadores de Grêmio e Internacional. Além disso, fez contato com atletas que já passaram pelos clubes gaúchos e ainda possuem ligações com a cidade.

O primeiro passo nas tratativas era sempre pelo WhatsApp. E no aplicativo de mensagens, o estudante de direito usava a artimanha de manter diálogos com ele mesmo por meio de diferentes números de telefone. Assim, tirava foto da tela e depois repassava 'prints' onde alegava ter canal direto com intermediários de fora do país.

Depois da aproximação online, L.C.A.B telefonava em busca de avanços e autorizações para negociar com clubes. As chamadas de voz eram realizadas sempre de números distintos, com códigos de fora do Brasil.

Em mais de uma tratativa, o estudante de direito se apresentou a empresários e integrantes do estafe de jogadores como sócio de Rio Ferdinand, ex-zagueiro do Manchester United. Com a menção ao antigo atleta da seleção inglesa, o objetivo era vender a imagem de intermediário com grande abertura no campeonato inglês. A história chamou atenção de pessoas do mercado e foi repetida em vários contatos, pessoalmente e pelas redes sociais.

A versão chamou tanto atenção que originou convite para reunião. Ao chegar no local do encontro, o investigado por estelionato gerou curiosidade: desceu de um Ford Ka laranja com detalhes em preto. A distinção veículo usado em relação ao padrão de vida indicado não passou em branco. Na conversa, surgiram contradições sobre datas, pessoas e locais.

Em outro contato, buscando assumir o papel de intermediário na negociação de jogador com passagem pela dupla Gre-Nal, o estudante afirmou que tinha residência em Londres e poderia usar o logradouro como base para as negociações com dois clubes do Campeonato Inglês.

"Ele dizia que estava sempre viajando, mas nunca postou nada nas redes sociais e sempre justificava de alguma maneira. Quem viaja, nesse meio, geralmente posta e ele não", contou um dos procurados pelo falso empresário, mas que pediu anonimato.

Ao ver as tratativas caírem com determinado grupo de agentes, o homem procurava novas conexões. Em uma delas, tentou se aproximar de Douglas Costa, hoje na Juventus, mas não teve êxito algum. Também se apresentou a pessoas próximas a Walter Kannemann, Leandro Damião e Victor Bobson, volante do time sub-20 do Grêmio.

De acordo com a Polícia Civil, L.C.A.B tinha documentos falsificados quando foi alvo de busca e apreensão. As páginas continham contratos adulterados e extratos financeiros. Nas conversas com agentes do mercado, foram distribuídas cartas que exibiam símbolos de clubes como Manchester City, Manchester United, Brighton & Hove Albion e Everton. Os textos eram apresentados para confirmar que havia ligação entre as equipes e os serviços do investigado.

Além de clubes da Inglaterra, também houve tentativa de operação com equipes de Portugal, Alemanha e Espanha. O DEIC (Departamento de Investigações Criminais), por meio da Delegacia de Repressão aos crimes Informáticos, apura se houve repasse de dinheiro e investiga se algum dos envolvidos chegou a ser lesado. Todos os relatos ouvidos confluíram para o mesmo ponto: sem negócios realizados.

Esporte