PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeirenses hostilizadas veem desproporção de força e pedem respeito e paz

Do UOL, em São Paulo

29/09/2018 08h06

As palmeirenses que foram hostilizadas por torcedores corintianos em um vagão do metrô de São Paulo nesta semana se manifestaram por meio de uma nota divulgada nas redes sociais. Nela, elas dizem que houve "desproporção nas força" na atitude e pedem paz e respeito entre todos.

"A mensagem que desejamos é de paz e respeito entre todos. Sejam torcedores comuns como nós, organizados, entre gêneros iguais e/ou diferentes e principalmente o respeito a nós mulheres", escreveram.

Os vídeos que circulam na internet mostram as torcedoras palmeirenses dentro de um vagão repleto de corintianos. Uma delas é encarada por corintiana, que a manda tirar a camisa. Outros vídeos mostram as duas palmeirenses recebendo chutes enquanto deixam o vagão.

A corintiana que aparece no vídeo hostilizando as palmeirenses disse, em contato com o UOL pelo Facebook, estar arrependida do que fez e citou ameaças de morte. Ela foi demitida de seu emprego.

As torcedoras do Palmeiras, que assim como a corintiana tiveram seus nomes omitidos pela reportagem por motivos de segurança, disseram na nota, sem citar nenhum fato especificamente, que não pediram justiça com as próprias mãos e lamentaram exageros que posam ter ocorrido.

"Reforçamos que em nenhum momento pedimos justiça com as próprias mãos e lamentamos qualquer exagero que possa ter ocorrido por qualquer pessoa", diz o texto.

Elas ainda ressaltaram que entraram no vagão desatentas com a presença de torcedores do time rival e foram orientadas por outros torcedores do Corinthians de como proceder.

"Sim, entramos totalmente desatentas no respectivo vagão e fomos orientadas por pessoas da própria torcida do Corinthians de como proceder, de forma calma e pacífica onde poderia ter sido tudo resolvido de forma diferente. Foi visível a desproporção de força. Esta atitude deixou marcas pelos nossos corpos que com o tempo se apagarão, e serão superadas", escreveram.

Por fim, elas agradeceram o apoio do Palmeiras e do Corinthians e fizeram críticas ao procedimento do metrô, dizendo haver um "total despreparo de estrutura para situações de caos".

Durante a semana, o metrô lamentou o ocorrido e alegou "que a usuária citada pela reportagem não procurou nenhum funcionário do Metrô para o registro da ocorrência".

Confira na íntegra o comunicado:

"Por meio desta, expomos nossa declaração de fatos e posição oficial sobre o incidente ocorrido nesta madrugada do dia 27/09/2018.

A mensagem que desejamos é de paz e respeito entre todos. Sejam torcedores comuns como nós, organizados, entre gêneros iguais e/ou diferentes e principalmente o respeito a nós mulheres.

Reforçamos que em nenhum momento pedimos justiça com as próprias mãos e lamentamos qualquer exagero que possa ter ocorrido por qualquer pessoa.

Nossa esperança é podermos todos conviver em paz e harmonia como uma sociedade civilizada.

E alguns fatos precisam ser esclarecidos:

- Referente ao Metro, há um total despreparo de estrutura para situações de caos. Não existe segurança!

No momento do ocorrido, estávamos na estação Brás e todos os seguranças estavam deslocados para a estação Corinthians Itaquera conforme informação do próprio funcionário do Metrô que nos acolheu, sendo este também totalmente atencioso porém inseguro com o que poderia acontecer.

- Sim, entramos totalmente desatentas no respectivo vagão e fomos orientadas por pessoas da própria torcida do Corinthians de como proceder, de forma calma e pacífica onde poderia ter sido tudo resolvido de forma diferente.

Foi visível a desproporção de força. Esta atitude deixou marcas pelos nossos corpos que com o tempo se apagarão, e serão superadas.

E sabemos que toda esta situação será superada por todos os envolvidos.

Nós agradecemos a todas as mensagens de apoio que recebemos de nossos amigos e desconhecidos que torcem para diversos times. Também agradecemos a todas as mensagens que os clubes se manifestaram contra a intolerância entre as torcidas, principalmente ao Palmeiras e Corinthians que foram as instituições ligadas diretamente ao caso.

Ao Palmeiras um agradecimento complementar pelo suporte oferecido na condução da situação.

Agradecemos aos amigos do Corredor Alviverde que publicaram e deram as caras em uma nota de repúdio. Deixamos claro que não temos envolvimento a organização da equipe sendo apenas amigas de um dos responsáveis pelos eventos. Também não fazemos parte de qualquer torcida organizada do clube, sendo apenas torcedoras da SEP.

Por questões de segurança a todos, preferimos não prolongar este incidente.

Obrigada "

Futebol