PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Juiz acaba jogo mais cedo "em comum acordo" após 10 a 0 na 3ª divisão do CE

Súmula do jogo entre União e Crato relata encerramento aos 40" do segundo tempo  - Reprodução/FCF
Súmula do jogo entre União e Crato relata encerramento aos 40' do segundo tempo Imagem: Reprodução/FCF

Roberto Oliveira

Colaboração para o UOL, em Recife

25/10/2017 19h46

Toda partida profissional de futebol tem pelo menos 90 minutos, divididos em dois tempos, certo? Nem toda. No sábado (21) passado, em jogo realizado em Juazeiro do Norte pela terceira divisão do Campeonato Cearense, o jogo entre União e Crato foi encerrado aos 40 minutos do segundo tempo.

O motivo? O capitão do time do Crato, que perdia o jogo por 10 a 0, entrou em "comum acordo" com o capitão do União para a partida ser encerrada. A decisão foi repassada ao árbitro Renato Pinheiro, que acatou o pedido dos líderes dos elencos e apitou o fim do jogo cinco minutos antes do tempo regulametar. Foi o que o árbitro relatou na súmula. 

"Informo que o jogo foi encerrado aos 40 minutos do segundo tempo, em comum acordo com os capitães de ambas as partes. Informo também que o capitão da equipe do Crato veio falar comigo junto com o capitão do União solicitando que encerrasse o jogo, pois sua equipe já estava perdendo por 10 a 0", escreveu Renato Pinheiro na súmula, que também relata que o segundo tempo começou às 16h32min e terminou às 17h12min.

Mas o inusitado não parou por aí. Por trás da "surra" por 10 a 0, estava o fato de que o time do Crato contava apenas com 11 atletas inscritos para a partida e àquela altura do jogo tinha tido um jogador expulso e outro contundido. Isto é, atuava com nove jogadores, já que não dispunha de reserva para fazer a substituição. 

O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Cearense de Futebol, Paulo Silvio, afirmou ao GloboEsporte local que, segundo a regra, um árbitro só pode encerrar uma partida antes do tempo regulamentar caso seja solicitado por uma das equipes, além de motivos como falta de segurança, iluminação, médicos ou por condições naturais. 

Segundo ele, porém, o juiz Renato Pinheiro precisaria ter sido mais específico na súmula e deixado nítido que a partida foi encerrada a pedido de um dos times, no caso, o Crato. Caso o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do Ceará entenda que o caso fugiu a regra, clubes e arbitragem podem até ser punidos.

O UOL Esporte tentou contato com a Federação Cearense de Futebol durante toda tarde desta quarta-feira (25) no intuito de falar com o chefe de arbitragem da entidade, mas não teve seus telefonemas atendidos.

Futebol